Uma cúpula gigante (ou a falta dela). É este o motivo que levou Kanye West a recusar atuar no Coachella.

Apenas 2 dias antes de ser anunciado como um dos cabeças de cartaz do festival, o rapper fez uma exigência ao co-fundador do Coachella, Paul Tollett: em vez de atuar no palco principal, West queria que lhe fosse construída uma cúpula gigante no meio do recinto, que seria criada pelo colaborador e cenógrafo West John McGuire.

A organização do Coachella, a empresa Goldenvoice, explicou ao cantor que a cúpula seria impossível de construir em 4 meses e exigiria que o local do festival fosse rearranjado para retirar uma grande parte das casas de banho portáteis. Kanye West não terá reagido bem, alegando ser um artista com uma visão criativa, não sendo assim preciso discutir sobre estes assuntos.

A notícia foi lançada pela Billboard, que refere que West atendeu a chamada durante umas férias em família e que desligou mal,  “atirando” a responsabilidade de lidar com as casas de banho à Goldenvoice.

West reclamou que o palco principal do Coachella não era grande o suficiente para a sua atuação, mas a organização explicou-lhe que artistas como Beyoncé e Lady Gaga tinham sido capazes de fazer atuações impressionantes, com centenas de dançarinos e músicos no palco principal. Acrescentaram também que é um dos maiores palcos na América do Norte.

Mas as justificações não valeram a pena e menos de 24 horas depois de Kanye West desistir, Ariana Grande foi confirmada para a noite final. A banda de rock australiana Tame Impala foi em dezembro anunciada, para substituir Justin Timberlake, que saiu da lista depois das datas da sua tournée serem remarcadas devido a um problema nas cordas vocais.

O Coachella acontece em dois fins de semana, de 12 a 14 de abril e de 19 a 21 de abril, e comemora este ano a 20ª edição. Os bilhetes para o festival de 2019 esgotaram-se em seis horas, o dobro do que acontecera no ano passado.