Mulher dá à luz depois de mais de 14 anos em estado vegetativo

Salvaram-na de morrer afogada mas desde então que está em coma. Ninguém se apercebeu da sua gravidez até entrar em trabalho de parto.

O Hacienda Healthcare Skilled Nursing Facility, nos Estados Unidos, já tinha sido alvo de outras reclamações por comportamento inapropriado perante os residentes da clínica

Uma paciente do Hacienda Healthcare Skilled Nursing Facility, nos Estados Unidos, cuja identidade não foi revelada, deu à luz ao fim de mais de 14 anos em coma. A polícia de Phoenix, Arizona, está a investigar a possível agressão sexual. A paciente ficou em estado vegetativo depois de ser salva de morrer afogada.

Segundo o “Insider”, uma fonte anónima afirmou que nenhum membro da equipa sabia que a mulher estava grávida até esta entrar em trabalho de parto no domingo, 29 de dezembro.

“Pelo que me disseram ela estava a gemer, mas ninguém sabia o que se passava”, afirmou. Com a ajuda de uma enfermeira, nasceu um bebé saudável, do sexo masculino.

As autoridades foram imediatamente chamadas ao local, mas o elevado número de pessoas com acesso ao quarto da paciente dificulta o processo — como necessita de cuidados permanentes, as entradas e saídas são constantes.

Após o nascimento da criança, foram implementadas novas regras: todos os homens que trabalham no local passam a estar proibidos de entrar no quarto das pacientes sozinhos. Têm de ir sempre acompanhados por uma mulher.

Esta não é a primeira vez que a unidade médica recebe queixas de cariz sexual. Uma assistente de enfermagem e um residente alegaram anteriormente que havia enfermeiras que entravam nos chuveiros de alguns pacientes, deixando-os desconfortáveis.

Num comunicado emitido pela instalação de cuidados médicos, não há qualquer referência ao caso e à investigação que está a decorrer. Ainda assim, asseguram, a segurança é prioridade dos 2.500 pacientes ao cuidado do Hacienda Healthcare.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]