Trabalha à distância? Vermont está a oferecer 9 mil euros a novos residentes

Estão abertas 100 vagas para o programa que foi criado com o objetivo de combater o envelhecimento da população e a crise económica.

Só são aceites candidatos cujas despesas não ultrapassem o valor do subsídio dado pelo estado de Vermont

Para quem trabalha à distância, chegou uma oportunidade de sonho. Vermont está oferecer cerca de 9 mil euros, em dois anos, para quem aceitar mudar-se para o estado norte-americano e a partir de lá trabalhar para empresas de outros países.

O programa, que foi aprovado em maio do ano passado, começou a aceitar candidaturas logo no primeiro dia de 2019 e quer empregar 100 novos trabalhadores nos primeiros três anos. Está também nos planos do governador de Vermont, Phil Scott, contratar mais 20 interessados em anos posteriores.

O dinheiro investido pelo estado em cada trabalhador funciona como um subsídio, que é entregue por ordem de chegada e cobre custos relacionados com computadores e outras despesas laborais.

Anualmente cada trabalhador recebe quatro mil euros. Só são empregues aqueles cujas despesas não ultrapassem esse valor.

Segundo a “Insider”, a iniciativa quer combater a crise económica que se instalou com o envelhecimento da população — a média de idades das 625 mil pessoas que habitam o segundo estado mais pequeno dos Estados Unidos ultrapassa os 40 anos.

Para tentar conter a situação, o governador lançou ainda outro programa, o Stay to Stay Weekends. O objetivo é fazer com que os 13 mil turistas anuais que visitam Vermont se mudem para o estado, oferecendo-lhes, durante fins de semana específicos entre abril e outubro, a oportunidade de interagirem com empregadores, empresários e agentes imobiliários locais.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]