Vai passar a passagem de ano fora do País? Saiba o que fazer para combater o jet-lag

Uma viajante profissional partilha os seus conselhos para se livrar dos efeitos negativos das mudanças acentuadas de fuso horário.

A exposição solar engana o organismo e estabiliza o seu relógio biológico

Rawpixel / Unsplash

Se faz parte do grupo de pessoas para quem a passagem de ano é sinónimo de férias fora de Portugal, já deve estar a sonhar com o momento de fazer as malas e entrar no avião.

Porém, se o destino eleito tiver um fuso horário muito diferente do do nosso País, pode enfrentar mudanças muito acentuadas e sentir os efeitos desagradáveis do famoso jet-lag, que se manifesta por fadiga, desconcentração, irritação e, em alguns casos mais extremos, até enjoos.

Mas ninguém se quer despedir de 2018 e receber 2019 a sentir-se indisposto e mal-humorado, principalmente se estiver de férias: para que o jet-lag não o condicione, siga os conselhos de Miriam Augusto, viajante profissional e fundadora da agência The Wanderlust.

Prepare o organismo com antecedência

Ainda em casa, deve começar a adaptar o seu organismo ao fuso horário do destino alguns dias antes de viajar. “É importante que as nossas horas de sono não se alterem de forma brusca. Devemos, portanto, nos dias que antecedem a viagem, deitarmo-nos mais tarde, no caso de irmos viajar para o Ocidente, ou mais cedo, se a rota terminar no Oriente”, refere Miriam Augusto.

Coma bem

A alimentação saudável e equilibrada é sempre essencial mas, durante um voo longo, ganha ainda mais importância. Escolha refeições leves, ricas em proteína, beba muita água e evite o álcool. No destino, faça as refeições respeitando o horário local.

Aposte no exercício físico durante a viagem

Para aliviar a tensão, aumentar endorfinas e evitar problemas de circulação, é aconselhado que caminhe dentro do avião, desde que a turbulência não o impeça, e que alongue frequentemente. A atividade física é uma excelente forma de estabilizar o organismo, mesmo após a chegada ao local.

Evite as sestas

Apesar de estas ajudarem a combater o cansaço imediato, podem dificultar a noite de sono. “Mesmo se estivermos exaustos, é preferível ficar acordado até à noite, para aumentar a probabilidade de conseguirmos uma noite de sono de oito horas seguidas, pelo menos. Adormecer muito cedo, antes das 21h, é outro comportamento a evitar”, salienta a viajante profissional.

O sol pode ser benéfico

Sabia que a exposição à luz solar pode amenizar os efeitos do jet-lag? Esta é uma forma de enganar o organismo e estabilizar o relógio biológico e, caso vá viajar para um destino de verão, ainda pode colocar o seu bronze em dia.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]