O conselho de administração da Universidade de Clarkson, em Potsdam, Nova Iorque, distinguiu Griffin, um cão de assistência, durante a cerimónia de entrega de diploma da dona.

Brittany Hawley, de 25 anos, sofre de dor crónica que a obriga a utilizar uma cadeira de rodas, e depois de receber o diploma de mestre em Terapia Ocupacional, foi a vez do Golden Retriever ser homenageado. 

“Demonstrou um enorme esforço, compromisso e dedicação para com o bem estar e sucesso da aluna” afirmou o conselho enquanto entregava a pasta ao cão de 4 anos, também vestido a rigor.

A história do cão que esperou um mês pela família junto dos destroços da sua antiga casa

Griffin acompanhou a dona desde o primeiro dia de aulas, incluindo em muitas atividades físicas. Muito mais do que abrir portas, ligar luzes e trazer-lhe objetos que precisasse, o cão deu-lhe o conforto para suportar toda a dor, ansiedade e depressão que pudesse sentir.

“Eu insisti para que ele se graduasse comigo desde o primeiro dia. Fez tudo o que eu fiz”, explicou a dona à “Associated Press”.

Brittany, residente em Wilson, North Carolina, nos Estados Unidos, conseguiu o seu companheiro na “paws4prisons”, um programa que ensina reclusos das prisões em West Virginia a treinar cães de assistência.

O que fazer quando os cães destroem tudo em casa (ou fazem chichi em todo o lado)

Na altura de o escolher, houve alguns deles que se assustaram com a cadeira de rodas mas Griffin saltou de imediato para o seu colo e a escolha tornou-se fácil.

Para além de todo o percurso na universidade, o cão acompanhou-a no estágio que realizou na instalação militar “Fort Bragg”, localizada no mesmo Estado. Tal como ela, o Golden Retriever ajudou soldados com problemas de mobilidade e distúrbios psicossociais.

“Os meus pacientes costumavam dizer que a terapeuta do dia era eu e o Griffin”, contou Brittany. “Quando me candidatar a empregos, ele virá comigo. Não conseguiria participar em nada sem ele”, concluiu.