Algures na década de 70 foi possível ver Janis Joplin a nadar nua na piscina do Copacabana Palace, pouco tempo antes de morrer. Mais celebridades históricas cruzaram as portas deste sítio: Ella Fitzgerald, Louis Armstrong, Madonna, Freddie Mercury, Paul McCartney ou Rod Stewart. Quase 100 anos depois da sua inauguração, esta unidade está prestes a mudar de dono.

A holding francesa LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton SE, anunciou na sexta-feira, 14 de outubro, que vai comprar toda a rede Belmond, à qual pertence esta unidade, por quase 3 mil milhões de euros. A negociação deve ficar fechada, de acordo com aquilo que adianta a “Globo“. De acordo com o “Financial Times“, LVMH (formada pelas fusões da  Moët et Chandon e Hennessy e, mais tarde, a Louis Vuitton) continua, assim, a expandir o negócio no ramo hoteleiro, depois de ter adquirido os hotéis Cheval Blanc, nas Maldivas, Saint-Barthélemy ou Paris e ainda a cadeia Bulgari Hotel and Resorts.

Da rede hoteleira Belmond, fundada há 40 anos — pela altura em que comprou o Hotel Cipriani, em Veneza —, e que opera em 24 países, fazem parte mais 25 unidades de luxo, incluindo o Belmond’s Reid’s Palace, no Funchal, na Madeira, o Splendido, em Portofino, em Itália; o Grand Hotel Europe, em São Petesburgo, na Rússia, ou o Hotel das Cataratas, na Foz do Iguaçu, também no Brasil. A estas unidades somam-se cruzeiros hoteleiros, ferroviários e fluviais.

“Através desta aquisição, a Louis Vuitton aumentará significativamente sua presença no luxuoso mundo do hotel”, disse o grupo francês em comunicado de imprensa, citado pela “Globo”. Segundo o mesmo órgão de comunicação social, a Louis Vuitton pretende manter o nome do hotel do Rio de Janeiro.

O Copacabana Palace foi inaugurado em agosto de 1923 e foi construido para acolher os visitantes estrangeiros, a propósito da Exposição do Centenário da Independência do Brasil.