Tudo o que os pais precisam de saber sobre o jogo “Red Dead Redemption 2”

É bem provável que seja o pedido de muitas crianças este Natal. Mas será que sabe exatamente do que se trata?

O jogo está classificado para maiores de 18 anos mas há forma de fugir à violência

“Red Dead Redemption 2” não é um jogo para crianças. Classificado para maiores de 18 anos, a nova aposta da Rockstar Games tem (muita) violência, tortura, diálogos um tanto ou quanto obscenos e crimes atrás de crimes. Até caçar pode tornar-se numa atividade perturbadora se considerarmos o quão explícito é o ato de esfolar um animal.

O problema é que “Red Dead Redemption 2” está a ser um sucesso tão grande que não há como os miúdos fugirem dele, independentemente da idade — na internet somam-se os vídeos e imagens, na escola é provável que muitos colegas e amigos até já tenham o jogo lá por casa.

O que é que os pais podem fazer, então? Em primeiro lugar, é importante perceber exatamente do que se trata. Depois, o ideal é acompanhá-los enquanto desbravam juntos o faroeste de “Red Dead Redemption 2”. É possível tornar o jogo apropriado para crianças — só precisa de saber onde é que deve investir mais tempo e o que deve evitar completamente.

Afinal o que é o “Red Dead Redemption 2”?

Estamos em 1899, numa altura em que se assinala o final da era de ouro do Velho Oeste nos Estados Unidos. Para grande infelicidade dos fora da lei, as autoridades estão a caçar os últimos gangues que ainda resistem. É o caso do grupo de Van der Linde, onde se insere o nosso personagem, Arthur Morgan. Para sobreviver, eles roubam, assaltam e lutam para sobreviver numa América dividida.

Van der Linde (centro) e o resto do gangue

Só que nem tudo é assim tão simples. Divisões internas profundas ameaçam despedaçar o gangue, e Arthur deve fazer uma escolha entre a lealdade ao gangue que o criou e os seus próprio ideais.

“Red Dead Redemption 2” acontece 12 anos antes do primeiro “Red Dead Redemption”. No primeiro jogo, em determinada altura o protagonista John Marston também se juntou ao gangue de Van der Linde, mas acabou por abandoná-lo.

Evite a história principal

Pode ser um pouco tentador interagir com os membros do gangue no acampamento e ver como é que pode ajudá-los. Infelizmente, isso significa roubar comboios, protagonizar assaltos e muitas vezes explodir com a cabeça de xerifes e outros membros da autoridade. Para evitar cenas de violência, o melhor é evitar estas missões por completo.

Apareceu uma bola no mapa. Devo ir ver o que é?

Quando aparecem bolas cinzentas no mapa, quer dizer que há um estranho ao lado da estrada a pedir a sua ajuda. Alguns pedidos são perfeitamente inofensivos, e uma boa oportunidade de explicar ao seu filho a importância de ajudar os outros — é o caso do mendigo que pede uma moeda ou do homem que foi mordido por uma cobra e precisa de um remédio.

Infelizmente nem todos são assim. Também há quem lhe peça ajuda para cometer crimes, escapar das autoridades ou assassinar bons samaritanos. O melhor é ignorá-los quando tiver as crianças ao lado.

Aproveite os mini-jogos

Jogar às cartas ou dominó são alguns dos mini-jogos espalhados pelo mapa, maioritariamente nas cidades. É uma boa oportunidade de entreter os miúdos durante horas a fio, sem nenhum crime envolvido. Além disso, alguns dos jogos podem incentivar o cálculo mental, como é o caso do Blackjack. Neste jogo o objetivo é ter mais pontos do que o adversário, sem ultrapassar os 21.

Só não arrisque o jogo da faca. Aqui a ideia é carregar rapidamente nos botões do comando para mover uma faca entre os dedos, o que geralmente envolve alguns cortes bastante explícitos na mão.

A caça pode ser um pouco violenta — mas há um truque para torná-la mais kids friendly

Há cerca de 200 espécies de animais em “Red Dead Redemption 2”, incluindo aves e peixes. Das inúmeras espécies de pássaros até aos veados, sem esquecer os lobos ou gambás, uma das atividades mais divertidas no jogo é cruzar planícies apenas para ir à caça. O problema é que isto pode ser especialmente violento para os miúdos, sobretudo se decidir esfolar os animais.

Há um truque que ajuda a passar a animação em que se vê Arthur a esfolar os animais — basta colocar o cavalo em cima da presa abatida. Pode testar e ver se desta forma a atividade se torna menos violenta.

O jogo apresenta também os chamados animais lendários. Espalhados um pouco por todo o mapa, as localizações vão sendo descobertas à medida que Arthur explora as diferentes regiões. Para apanhar estes animais, tem de recolher uma série de pistas e depois caçá-los.

Não gostou da ideia de caçar? Limite-se a observar a vida animal

Se achar que não faz sentido expor os miúdos à caça, pode simplesmente agarrar nos binóculos e partir à descoberta do maior número de espécies possível.

Atenção apenas que os animais predadores vão atacá-lo — se encontrar um lobo ou um urso, o melhor é agarrar no cavalo e fugir.

Também pode pescar

Bem menos explícito do que o ato de caçar, “Red Dead Redemption 2” tem muitas espécies de peixes espalhadas pelo mapa. Em lagos, rios e pântanos, há vários tipos de iscas e uma enorme variedade de peixes. A cada animal pescado também pode escolher atirá-lo de volta à água.

Tal como na caça, na pesca também existem peixes lendários. Aqui não é preciso seguir pistas para os descobrir, mas eles só serão apanhados se recorrer às iscas especiais.

Divirta-se a colher flores e plantas

Há tantas plantas espalhadas pelo Velho Oeste que difícil vai ser encontrá-las todas. As flores mais bonitas e únicas podem ser vendidas a colecionadores, as plantas poderão ser usadas para fazer remédios, temperar comida ou até alimentar o cavalo.

E ainda nem falámos nos cavalos

Este será certamente um dos animais favoritos dos miúdos. O jogo está recheado de cavalos, tanto nos estábulos como nas planícies. Os jogadores podem domar animais selvagens e torná-los seus. Escolhido o seu melhor amigo, pode (e deve) alimentá-lo, escová-lo, equipá-lo com as melhores selas ou até fazer tranças para melhorar a sua aparência.

Os cavalos também podem ser usados para arrastar pessoas ou atropelar animais, mas isto já não será necessário dizer aos miúdos.

Leve os miúdos ao teatro

Em praticamente todas as cidades do jogo há espetáculos ao vivo. Os bilhetes não são muito caros e a diversão está garantida durante alguns minutos.

Personalizar Arthur é divertido

Pode fazer quase tudo com o seu personagem: cortar o cabelo, aparar a barba, emagrecê-lo ou engordá-lo (tudo depende da comida que lhe der) e, claro, personalizar o seu guarda-roupa até à exaustão. Há alguns pormenores interessantes, como a necessidade de cortar a barba e o cabelo ao personagem (eles vão crescendo com o passar do tempo) ou de adequar a roupa ao estado meteorológico.

Diga olá às pessoas

Arthur pode ser a pessoa mais simpática do mundo. Basta colocá-lo a cumprimentar as pessoas na rua. Além de ser engraçado vê-lo a interagir com a vizinhança, isto melhora a honra do personagem. Ainda não tínhamos falado disto: sendo um jogo onde é possível tomar decisões, os jogadores podem optar por ser bonzinhos ou verdadeiros vilões. Cumprimentar pessoas é uma boa forma de melhorar a honra de Arthur para depois ter uns cartuchos para queimar quando decidir fazer uns assaltos depois de os miúdos irem para a cama.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]