Kevin Hart já não vai apresentar os Óscares depois da polémica

O comediante foi acusado de ser homofóbico e de não ser a pessoa mais indicada para pisar o palco da gala mais importante de cinema.

Ainda não se conhece o substituto de Kevin Hart

Jordan Strauss/AP

As redes sociais não perdoam e a mais recente vítima do ódio e das críticas de milhares de utilizadores online foi Kevin Hart. O ator e comediante tinha sido o escolhido pela academia para apresentar a 91.ª cerimónia de entrega dos Óscares, mas acabou por desistir depois de ser acusado de homofobia em algumas piadas e tweets.

Foi na quarta-feira, 5 de dezembro, que foi anunciado que seria Kevin Hart o sucessor de Jimmy Kimmel na condução da gala mais importante de cinema. Mas a polémica não demorou a chegar quando, um pouco por toda a internet, vários utilizadores criticaram a escolha de uma pessoa que, além de ter batido na ex-mulher e traído a atual, tinha feito várias piadas nos seus espetáculos de humor sobre homossexuais.

A mais conhecida, e a que originou toda esta polémica, aconteceu em 2010 durante um bit de stand-up, e fazia referência ao medo de Kevin Hart um dia chegar a casa e o filho se assumir como homossexual. Durante o mesmo espetáculo, explicou que não era homofóbico mas que, enquanto homem heterossexual, iria fazer tudo o que estivesse ao seu alcance para que o filho não fosse gay.

Mas não foi só a piada que gerou toda esta controvérsia. É que, ao longo de toda a sua carreira, o humorista fez várias publicações (entretanto eliminadas) no Twitter onde humilhava, ridicularizava ou fazia troça de homossexuais.

Benjamin Lee, cronista do jornal “The Guardian”, escreve que a “obsessão de Hart em fazer piadas sem graça, desrespeitosas e desapropriadas sobre uma comunidade pela qual nunca mostrou respeito” faz dele uma pessoa “nada merecedora de estar no palco da cerimónia dos Óscares”.

A resposta inicial do humorista foi ignorar os comentários negativos e agradecer a oportunidade de ser o próximo apresentador da gala. Mas esta sexta-feira, 7 de dezembro, tudo mudou. No Twitter, o humorista anunciou a decisão de desistir do cargo de apresentador por “não querer ser uma distração durante uma noite que deveria ser celebrada por todos os artistas talentosos.”

Ainda na mesma publicação, o humorista pediu desculpa a toda a comunidade LGBT e revelou o desejo de mudar as suas atitudes no futuro. “Peço desculpa se alguma vez ofendi alguém. Estou a evoluir e quero continuar a fazê-lo. O meu objetivo é tornar as pessoas mais unidas e não afastá-las. Tenho muito apreço e carinho à Academia e espero que nos possamos encontrar outra vez”, continuou.

Por enquanto ainda não se conhece quem substituirá o humorista na gala que vai acontecer a 24 de fevereiro.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]