Há festas em Lisboa para ir das 7h às 10h, antes de entrar no trabalho

Chama-se Regabofe Matinal e propõe festas de manhã cedo com direito a DJ e a um menu com cappuccinos, lattes e shots saudáveis.

As festas começam às 7h, para os mais madrugadores, e prolongam-se até às 10h para quem pode entrar um pouco mais tarde no trabalho

Há a noite do Bairro Alto, que desliza até ao Cais do Sodré e que se arrasta até ao Lux. Os mais corajosos podem continuar a noite (ou a manhã) nos afters de Santos e os mais cautelosos podem até apostar nas matinés de domingos, uma boa forma de tornar o final do fim de semana menos doloroso.

O que ainda ninguém se tinha lembrado por cá era em festas feitas durante a manhã. E quando aqui falamos de manhã, é manhã cedo.

Das 7h às 10h, há agora o chamado Regabofe Matinal, uma festa organizada por um casal que quer fugir da área da gestão, na qual os dois trabalham, para uma realidade paralela, onde há música, dj e shots ainda antes de o sol nascer.

A entrada na festa da direito a uma bebida, música e a, seguramente, ir mais bem disposto para o trabalho

Miguel Pires, que viveu em Varsóvia e em Londres, cidades onde estas festas são mais comuns, quis trazer o conceito para Portugal. Desafiou a namorada, Joana Sousa Lara, e juntos organizaram a primeira edição, no dia 7 de novembro, num passo arriscado tendo em conta que estávamos numa Lisboa com os olhos postos na Web Summit.

“Mesmo assim, e apenas com um evento criado no Facebook, tivemos mais de 30 pessoas”, conta Joana à MAGG.

O próximo já tem dia marcado: 5 de dezembro. A regularidade, para já, fica-se pela primeira quarta-feira de cada mês, mas a ideia é replicar o evento durante o mês e em sítios diferentes da cidade. “Estamos de olho na zona do Marquês de Pombal, onde passa sempre muita gente a caminho do trabalho”, refere.

Para já, as festas acontecem no Juicy, um restaurante da baixa de Lisboa, que prepara um menu de pequeno-almoço com direito a sumos e shots saudáveis, rolls de pão caseiro com doce, pudins de chia, bolachas e outros snacks.

A música fica a cargo de Miguel, que promete um estilo electro-funky-disco “Sem piradinhas e MCs Marcinhos”, garante.

A entrada custa 5€ e inclui ainda uma bebida. Relembramos que são sete da manhã e, por isso, é melhor esquecer o gin com pétalas de rosa. Há cappuccinos, lattes, café ou chá. É que parece que não, mas depois disto há um dia de trabalho pela frente.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]