E antes da temida pergunta “Já sabes onde vais passar a passagem de ano?”, chega aquela frase que nos põe já a fazer contas com o calendário na mão. “Temos que marcar um jantar de Natal”, ouvidos da boca dos colegas de trabalho, do grupo de amigos da universidade, do pessoal das corridas, do grupo do Whatsapp sobre a viagem que fizeram há três anos ou daquela que estão a planear para 2019.

Vale tudo para juntar gente à mesa, levar uma bandolete de árvores de natal na cabeça e fazer o amigo secreto. O difícil costuma ser encontrar um sítio disponível para os dias antes do Natal, com preços em conta e, de preferência, originais.

A MAGG explorou Lisboa e Porto e deixa-lhe seis sugestões de espaços para a festa que, só pela originalidade, já merecem prenda no sapatinho.

Um jantar de pregos

Há três menus disponíveis, desde os 20 os 35€

Bacalhau não tem que ser com todos e aqui até pode ser comido entre duas fatias de pão. Os três restaurantes do Prego da Peixaria — Saldanha, Alvalade e Algés — vão ter disponíveis três menus a pensar nos jantares de Natal. O grupo tem de ter no mínimo dez pessoas e as reservas têm de ser feitas com dois dias de antecedência.

Os menus vão dos 20 ao 35€, consoante o número de opções. O mais barato inclui salgadinhos de entrada, um prego, um acompanhamento e uma sobremesa entre mousse de chocolate, crumble de maçã ou salada de fruta. Inclui ainda águas, sumos e uma garrafa de vinho para cada duas pessoas.

O menu seguinte tem tudo isto, custa 25€, e conta como extra um Porto tónico de aperitivo, uma sopa e uma salada. O de 35€ tem todos os itens dos anteriores, acrescendo ainda um pica pau de atum ou lombo e uma tábua de picanha, lombo, secretos de porco preto e frango com dois acompanhamentos à escolha.

As crianças até aos 4 anos têm um menu infantil e as crianças dos 5 aos 12 anos tem desconto de 50% sobre o preço do menu de adulto.

Jantar na banca da peixaria

A Peixaria Centenária abriu em 2013, mas só servem jantares desde Março

Se quer estar com amigos, mas sem aquela barulheira de restaurante que quase não deixa ouvir a pessoa que está à sua frente, este é o sítio ideal.

A Peixaria Centenária, que começou por ser mesmo um ponto de venda de peixe, passou a servir jantares no início deste ano, sempre para grupos pequenos e marcados com antecedência.

Agora, para o Natal, preparou um menu para doze pessoas “que gostem de conversar, beber bom vinho e comer peixe do melhor”. Se for o caso, avance. Custa 500€, o que dividido por doze dá qualquer coisa como 42 euros, com direito a couvert, ostras, amêijoas à Bulhão Pato, polvo à lagareiro com batata doce assada, castanhas e cogumelos salteados cheesecake americano com doce de tomate, vinhos, água e café.

Jantar depois de um workshop

Depois do workshop, a ideia é juntar o grupo à mesa para que comam aqueilo que acabaram de preparar

A ideia aqui é pô-lo a trabalhar. A diferença é que pode fazê-lo com amigos, num ambiente descontraído e, no final, ainda tem um prato cheio para se deliciar.

A Academia Timeout, que já organiza workshops de cozinha habitualmente, propõe que, no Natal, um grupo de amigos se junte, escolha o tema do workshop e aprenda a cozinhar com a ajuda de um chef.

Os workshops e jantares custam entre 35 e 45€ e devem ser agendados através dos contactos: [email protected] ou 91338393

“Juntar de Natal”

Para ultrapassar a dificuldade que é marcar um jantar de Natal, a marca propõe simplesmente juntar amigos e cervejas

Não, não é gralha. Falamos aqui de um “juntar de natal”.

A ideia é da Super Bock que, até 19 de dezembro, desafia grupos de amigos que queiram celebrar a data de uma forma diferente a juntarem-se para beber um copo, pegando na ideia de que marcar um jantar de natal — desta vez com ‘a’ — é sempre tão complicado.

Há novos restaurantes em Lisboa e no Porto. Conheça 25

A marcação de cada “Juntar de Natal” decorre, em exclusivo, no chat de Facebook da Super Bock. Para participar, o consumidor apenas tem de convidar quatro amigos, associando-os ao que considera serem os seus defeitos de Natal como “o esquecido”, “o ocupado” ou “o controlador”. Ainda durante o registo, é feita a escolha do ponto de venda onde se pretende juntar o grupo de amigos.

Pode ser que começando com umas cervejas num dos balcões da Super Bock, seja mais fácil seguirem para um restaurante.

Jantar numa espécie de Airbnb

A organização trata de tudo: decoração, comida e arrumação do espaço no final

“Jantares de grupo no conforto de uma sala de estar”. É logo a primeira frase que lemos assim que abrimos o site da Homie, que junta casas no Porto para receberem jantares privados.

A ideia surgiu quando, há dois anos, este grupo de amigos lutava contra a dificuldade que é arranjar um sítio para um jantar de grupo. Decidiram, por isso, criarem eles o espaço ideal para juntar amigos, copos e uma refeição bem servida.

O jantar é feito numa casa, que pode ser decorada ao gosto do grupo que — atenção a este pormenor — pode ficar a curtir o espaço, seja com música ou não, até às cinco da manhã. O facto de todos as casas ficarem em prédios de escritórios ajuda a esta liberdade.

O jantar é servido na casa e há dois menus disponíveis. O de 20€ inclui entradas (pão, patê, tostas, tábua de enchidos, tremoços, azeitonas, salgadinhos, enroladinhos de legumes), dois pratos principais à escolha entre oito disponíveis, duas sobremesas, vinho, cerveja e sangria. O menu de 25€ é semelhante, mas tem (ainda) mais entradas, mais bebida e mais opções de prato principal.

Jantar em casa dos chefs

O jantar custa 50€ e é servido em casa dos chefs que o preparam

O projeto é recente e vem mesmo a tempo dos jantares de Natal. Caroline e Guilherme são dois chefs brasileiros que decidiram que seria em Portugal, mais concretamente no Porto, que dariam a conhecer a sua arte na cozinha, não na de um restaurante, mas na da sua casa.

O Preamar é um supperclub que funciona para grupos de, no máximo, doze pessoas, que se sentam numa mesa comunitária. O menu varia consoante a estação, mas conta sempre com uma bebida de boas-vindas, seis pratos, água, petit fours, café e chá.

Tudo isto custa 50€, mas se quiser harmonizar a refeição com vinho, pode sempre escolher e comprar na hora um dos vinhos disponíveis na carta.

Todas as intolerâncias alimentares ou restrições são tidas em conta e só depois da reserva confirmada é que o grupo tem acesso ao número de porta do espaço que fica na Rua de Santa Catarina.