Uma baleia deu à costa no sudeste da Indonésia com seis quilos de plástico no estômago. A organização ambientalista Fundo Mundial para a Natureza (WWF, na sigla em inglês), que acompanhou o processo, refere que, entre os mais de mil objetos de plástico estavam 115 copos, quatro garrafas, 25 sacos e dois chinelos.

A carcaça do animal com 9,5 metros foi encontrada perto do parque na província de Sulawesi por habitantes locais, que chamaram a atenção da equipa de resgate do parque nacional de Wakatobi. Dwi Suprapti, coordenador de conservação de espécies marinhas no WWF da Indonésia, não quis associar imediatamente a quantidade de plástico encontrado no estômago com a morte do animal, até porque estava já num avançado estado de decomposição. No entanto, admite que “os factos encontrados são realmente terríveis”.

E finalmente Portugal acordou para a luta contra o plástico

O ministro dos Assuntos Marítimos da Indonésia, Luhut Binsar Pandjaitan, também já reagiu e espera que este episódio ajude a aumentar a consciencialização pública sobre a necessidade de reduzir o uso de plástico e pede ao governo que tome medidas mais duras para proteger o oceano.

A Indonésia, com 260 milhões de habitantes, é o segundo maior poluidor de plástico do mundo depois da China, de acordo com um estudo publicado na revista Science este ano. Produzem 3,2 milhões de toneladas de resíduos de plástico por ano, sendo que, desse total, 1,29 milhões de toneladas acabam no oceano.

Tentei passar um dia sem usar plástico. Não passei do pequeno-almoço

À Associated Press, o ministro referiu que o governo está a fazer um esforço para reduzir o uso de plástico, pedindo, por exemplo, que as lojas não ofereçam sacos de plástico aos clientes. Nas escolas, a mensagem está a ser passada aos mais novos, de modo a que consigam cumprir a meta governamental de reduzir o uso de plástico em 70% até 2025. “Essa meta pode ser alcançada se as pessoas perceberem que o lixo plástico é um inimigo comum”, garante.