São poucas as conversas entre mulheres que são mães e mulheres que não o são que não acabe com “aproveita para viajar muito enquanto não tens filhos.” Uma teoria com que Sofia Correia não concorda. A atriz é mãe de dois rapazes, Vasco de 3 anos e Duarte de 1 ano, e acredita que viajar pode perfeitamente ser uma experiência vivida em família.

Viajou para o Brasil quando o filho mais velho tinha nove meses, e para a Indonésia grávida de sete meses e com um filho de pouco menos de dois anos e um mês após ter lançado o blogue “Sofi and The Boys“, onde partilha as suas viagens com o marido e os filhos.

Sofia Correia partilhou com a MAGG algumas dicas de como viajar com crianças, conselhos e histórias. Para a atriz há cinco dicas indispensáveis quando se viaja com uma criança.

Descomplicar

Para Sofia Correia, essa é a regra número um. “Os miúdos adaptam-se a tudo, e tudo o que eles querem é estar com os pais, por isso, uma viagem em família é o melhor que lhes pode acontecer”, explica.

Os 5 destinos preferidos dos portugueses para este inverno

Levar o essencial

Este pode parecer uma das partes mais difíceis, mas também para isto é preciso ser prático e saber definir o que realmente é importante e o que faz falta. “Para além da roupa e dos artigos de higiene, os miúdos não precisam de muita coisa, inclusive brinquedos. A preocupação é não levar muita coisa. Roupa básica, organizar toilettes para ser mais fácil e levar peças que conjuguem com várias. Se for um país tropical, não podem faltar camisolas anti UV, protetor solar, chapéu e repelente de insetos. Uma mini farmácia de viagem e mini kit de primeiros socorros.”

Carrinho de bebé e “mochila” de bebé

Pode parecer “tralha” a mais, mas é uma grande ajuda para os pais durante uma viagem, principalmente quando o destino exige que se ande muito a pé. Para Sofia Correia estes dois acessórios são essenciais para as viagens. “Se houver uma criança que ainda dorme a sesta, é importante levar um carrinho de bebé bengala, pois permite que os pais não estejam reféns das sestas e que possam ir para qualquer lado com uma ‘cama portátil’. Se houver um bebé, uma mochila porta bebés.”

Reservar os melhores lugares de avião

Também no momento de reservar a viagem de avião é preciso ter em conta que se viaja com crianças e, por isso, a atriz acredita que há lugares de avião melhores do que outros para esta situação. “Se forem viajar de avião com uma criança pequena, reservem os lugares das filas da frente, onde há mais espaço. E no momento do check-in, perguntem se há lugares vagos no avião de modo a terem uma fila.”

Diversão

No meio de tanta logística e preparação, há um ponto do qual os pais não se podem esquecer e que para Sofia Correia é muito importante: “Divirtam-se. Não há melhor do que mostrar o mundo aos nossos filhos, nem que seja o bairro perto de casa.”

5 fotos

Dicas que podem ajudar muitos pais a tomar a decisão de sair de casa e de fazerem uma viagem com o(s) filho(s), quer seja de avião para fora do país quer seja de carro, dentro de Portugal. Se a viagem em si, de carro ou avião, é o que mais preocupações cria, Sofia Correia explica: “Eu acho mais difícil uma viagem de carro do que de avião. Não somos adeptos de tablets ou telemóveis, porque acaba em birra ou porque fica sem bateria ou sem rede. Só usamos em casos extremos. Escolhem dois ou três brinquedos pequenos e um livro para pintar é sempre ótimo. Uma coisa que entreteve o Vasco na viagem para a Indonésia foi o meu iPod antigo com uns headphones de criança, com as músicas que gosta. E levar sempre snacks. Bolachas salvam-nos sempre, certo?”

Viajar com os filhos pode dar mais trabalho, ser mais pesado e não ser tão espontâneo, mas é também uma das melhores formas de criar memórias em família. Cada família tem o seu timing e há quem prefira esperar que as crianças cresçam para viajar. Sofia Correia acredita ainda que tudo tem a ver também com o que o casal e a família precisam em determinado momento. “Desde que o Vasco nasceu, todas as viagens que fizemos foram com ele. Mas desde que o Duarte nasceu, e como ter dois filhos próximos é um desafio, sentimos mais necessidade de fugir os dois para namorar. Fomos a Paris e a Marrocos sem eles, mas agora estamos a planear uma viagem grande a quatro. Não me sinto privada de nada. Tudo se faz, se houver vontade.”