Por mais cuidado que os pais tenham em proteger os filhos, há algumas circunstâncias que colocam os miúdos em perigo. Seja por ingerir substâncias perigosas para a saúde ou por brinquedos que acabam por magoá-los, a publicação Bright Side compilou oito coisas que os pais compram que são potenciais ameaças para as crianças.

Cápsulas de detergente

Os bebés passam pela fase de apanhar tudo o que puderem para meterem na boca e as cápsulas de detergente são um desses perigos a que facilmente têm acesso. Caso ingeridas, podem envenenar e queimar a boca, a garganta e o estômago das crianças. Mas comprar o detergente em embalagem também não é solução. Na possibilidade deste se entornar pode irritar ou queimar, os olhos e a pele. E cheirar o detergente pode queimar-lhes as vias respiratórias.

Balões e objetos pequenos

Festas são sinónimos de balões. As crianças adoram-nos e os pais sabem disso, mas talvez não se apercebam de que causam mais mortes do que qualquer outro brinquedo. Em caso de ingestão, os balões, principalmente os de látex, podem sufocar uma criança ao conseguirem ajustar-se à sua traqueia. Mas há outros objetos pequenos que também são perigosos. Entre eles estão pilhas, berlindes e tampas de garrafa.

Telemóvel: perigo para as crianças ou uma ferramenta útil para os pais?

Comida de animal

Não há qualquer prova de que a comida de animais de estimação faça mal ao ser humano, mas ainda assim há casos de algumas crianças que ficam mal dispostas depois de a ingerirem sem intenção. Mas o maior problema da ração seca para animais, essencialmente a de cão e gato, está no tamanho dos grãos. Alguns são muitos grandes para que consigam passar pela traqueia das crianças o que pode acabar por sufocá-las.

Drones e outros brinquedos voadores

Os aviões telecomandados e recentemente os drones são brinquedos que fascinam os miúdos. Apesar de parecerem inofensivos quando estão a voar a uma distância segura, podem causar alguns problemas. Prova disso foi a criança que por causa de uma hélice de drone, cortou o olho.

Trampolins

Os trampolins são uma ótima maneira de manter as crianças entretidas em casa. Mas segundo a European Injury Database, aproximadamente 51 mil crianças dos 0 aos 14 anos precisam de assistência médica por complicações causadas por trampolins.

Deixe os micróbios em paz. Eles ajudam as crianças a crescer

Baús

Para manter o espaço de brincadeira dos miúdos arrumado, é comum que os pais usem baús. Enquanto procuram ou escolhem o brinquedo que pretendem, as tampas pesadas podem entalar as crianças. Já houve casos de crianças que sufocaram por tampas mal seguras que acabaram por cair. Apesar de já haver medidas de segurança que previnam estes acidentes, a melhor solução passa por caixas abertas.

Plantas

É preciso ter atenção às plantas que preenchem as casas e os jardins, há algumas que são bastante tóxicas e até letais. Num artigo publicado na revista Visão lê-se que em Portugal, a hortênsia, caso seja consumida em grandes quantidades, provoca vómitos, convulsões e pode até induzir ao coma. Já a seiva da difembáquia (vulgarmente conhecida como “comigo-ninguém-pode”), que tantas vezes é definida como a melhor para purificar o ar das casas, pode levar à asfixia. “É preciso ensinar as pessoas a terem atenção ao que compram”, referiu a engenheira agrónoma Teresa Vasconcellos.

Vídeo ensina crianças a identificar os sintomas de um enfarte

Doces e disfarces

O consumo de doces também pode ser prejudicial para as crianças. É preciso ter atenção ao tamanho do rebuçado que a criança está a ingerir para que não corra o risco de asfixiar. Até os doces “que picam” na boca são potencialmente perigosos, uma vez que podem causar queimaduras.

Relativamente aos fatos e disfarces que são habituais em épocas como o carnaval ou o halloween, os pais devem estar atentos aos materiais de que são feitos já que há alguns que são facilmente inflamáveis, havendo a possibilidade de pegarem fogo.