“Pesadelo na Cozinha”. Dono do restaurante diz que Ljubomir é “um ator e uma besta”

O confronto entre o chef e o proprietário do Alameda foi duro e os dois só fizeram as pazes no final do programa. Contamos-lhe tudo.

A equipa do Alameda. Ana, a cozinheira e mulher de Fernando Rosa, sentada à esquerda, é o pilar do restaurante

TVI

O penúltimo episódio da segunda temporada de “Pesadelo na Cozinha” tinha tudo para correr mal. É que apesar de o Alameda, situado em Sines, ter apenas oito meses de negócio, havia falta de clientes e os problemas estendiam-se para lá de uma ementa fraca e à base de alimentos congelados, disse a produção do programa da TVI. Seria Fernando Rosa, gerente e proprietário, o grande desafio de Ljubomir Stanisic que esteve quase a abandonar o programa e a desistir do restaurante. O 9.º episódio estreou este domingo, 11 de novembro, teve a habitual dose de palavrões e de momentos insólitos — mas foi talvez o episódio mais tenso e dramático de toda a temporada até agora.

A MAGG desconstruiu o episódio e mostra-lhe tudo aquilo que aconteceu.

O pior do restaurante

Apesar das críticas geralmente positivas na internet, as maiores dificuldades do restaurante Alameda são relacionadas com o serviço que é quase sempre lento devido à falta de funcionários e à desorganização da cozinha. Além disso, o restaurante só sobrevive porque Fernando Rosa, o proprietário, tem uma empresa de informática que usa para pagar as despesas do seu estabelecimento. Segundo o que revelou durante o programa, há oito meses que Fernando não consegue tirar um único ordenado e só ainda não fechou porque a sua empresa serve como sustento.

Apesar de limpo, o restaurante apresentava ainda uma decoração antiquada e pouco apelativa.

De quem é que gostámos mais

Escolhemos Ana, mulher de Fernando e cozinheira do Alameda, como a pessoa de quem mais gostámos durante o programa. Além de ter vontade de aprender e nunca baixar os braços, mesmo em situações de alta pressão, a cozinheira sempre foi capaz de se impor perante o marido.

Um dos exemplos mais notáveis foi quando Fernando pediu à mulher que servisse uma jardineira que não só não estava na carta, como não tinha apresentação e seria para a refeição dos funcionários. Ele insistiu, mas Ana recusou e deu um puxão de orelhas a Fernando.

“Não tínhamos combinado que esta jardineira não dava para os clientes e que a comeríamos nós [funcionários]?”, e o assunto ficou arrumado na hora. Apesar dos conflitos, tentou sempre apoiar o marido nas situações mais difíceis e conquistou o chef com a sua atitude positiva e vontade de querer conhecer mais e novas receitas.

De quem é que gostámos menos

Ainda antes da emissão do programa, a sinopse da TVI fazia antever um proprietário difícil e em constante confronto com Ljubomir. Os primeiros momentos do episódio confirmaram isso mesmo: Fernando revelou-se instável, conflituoso e quase fez com que o chef desistisse de tentar ajudar o Alameda.

Depois de um serviço desastroso, em que Fernando mandou clientes embora por não ter funcionários suficientes para os servir, Ljubomir quis falar com o proprietário que o insultou e lhe disse que não era capaz de aguentar a humilhação de que estava a ser alvo. Visivelmente exaltado, Ljubomir saiu da sala e Ana e Fernando discutiram.

O prato da polémica

Escolhemos a cabidela como o prato mais polémico. Para Ljubomir, a cabidela servida pelo Alameda era mais “frango estufado com arroz” onde não havia vinagre e sangue. Mas houve outras desilusões, como o bacalhau à Brás que estava seco e sem sabor.

O momento mais WTF

O penúltimo episódio da segunda temporada de “Pesadelo na Cozinha” apostou mais em momentos dramáticos do que em momentos WTF, mas também os houve. Como quando Ljubomir fez uso da máquina de karaoke que estava na sala do restaurante e começou a cantar e a fingir uma performance musical. Ou quando, na cozinha, simulou um jogo de ténis com um bife congelado a fazer de raquete.

O momento mais violento

Não temos dúvidas: o confronto inevitável entre Fernando e Ljubomir foi um dos momentos mais violentos do programa. Ljubomir disse que era alentejano e que, por isso, tinha uma ideia do que um restaurante alentejano deveria ser. Fernando exaltou-se: “Você é um ator e uma besta. Você é um alentejano o caralho, um alentejano não é assim”, o que deixou Ljubomir visivelmente perturbado ao ponto de quase abandonar o programa e o restaurante. Os dois pouco ou quase nada falaram durante o resto do episódio e só viriam a fazer as pazes no final, mas apesar de Ljubomir dizer que não guardava rancor de nada, não tinha dúvidas de que o maior problema do Alameda era o proprietário.

O momento mais fofinho

O momento mais fofinho foi quando, apesar de tudo, Ljubomir tentou acalmar Fernando que tinha acabado de ter um ataque de pânico devido à pressão de ter o chef no seu restaurante. Como consequência, o proprietário saiu do restaurante e esteve sempre acompanhado pela produção da TVI enquanto havia clientes para servir.

Ana, ao saber do que tinha acontecido, desfez-se em lágrimas o que obrigou à atuação de Ljubomir — que assumiu o controlo da cozinha e serviu todas as refeições que faltavam. “Juro pelos meus filhos que estou aqui para te ajudar, por isso tem calma”, disse a Ana.

Quem disse mais palavrões?

Ljubomir Stanisic disse 30 palavrões, quase todos eles direcionados a Fernando, que proferiu 10 durante todo o episódio. Em último lugar está Ana, a cozinheira, que apenas disse cinco.

As frases mais insólitas

  • “Isto não é trabalho, é bater punhetas.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Mandaste o cliente embora porquê? Porque não tens condições? Tens aqui um cozinheiro que te pode ajudar. Porque é que não me pedes ajuda?” (Ljubomir Stanisic)
  • “A vida é para ser vivida, e às vezes é fodida.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Isto que está aqui à volta é a puta de uma merda” (Ljubomir Stanisic)
  • “Você é um ator uma besta. Você é um alentejano o caralho, um alentejano não é assim.” (Fernando Rosa)
  • “O que nós queremos é procurar o orgasmo através da comida.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Eu estive para desistir de ti e do programa porque o teu namorado precisa de curar aquela doença.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Isto [fogão] é um instrumento de música e um músico tem de saber tocá-lo.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Tens de aprender a ser mais humilde e a não julgar os outros com base apenas nos primeiros minutos que passas com eles. Se eu te julgasse pelos primeiros momentos que estive contigo, tínhamos andado à pancada e juro-te que saías todo partido, caralho.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Eu não guardo rancor. Dá cá um abraço e caga nessa merda.” (Ljubomir Stanisic para Fernando)
  • “[No final do programa, para a câmara] Para finalizar, digo que se calhar até é alentejano.” (Fernando Rosa)

A frase do episódio

  • “Para mim tu não existes como ser humano” (Ljubomir Stanisic para Fernando Rosa)

O antes e o depois

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]