A China vai tornar-se no principal destino turístico em 2030

O país vai destronar a França e tornar-se o destino mais visitado. Mas esta não será a única a ser ultrapassada.

A economia da Ásia subiu mais de 6,5% em 2017, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística

A China será o principal destino turístico do mundo até 2030. A Euromonitor International, uma empresa de pesquisa global, divulgou um relatório que prevê que o país asiático destrone a França e se torne o que vai receber o maior número de visitantes. O mesmo relatório sugere ainda que superará a Alemanha e os Estados Unidos no número de viajantes que viajam para fora do país. Até 2030 a China contará com 260 milhões de viagens feitas por residentes para o estrangeiro.

No World Travel Market, em Londres, Wouter Geerts, o autor do relatório e consultor da Euromonitor, afirmou que o turismo se tornou numa das bases da economia chinesa. A sua pesquisa revela ainda que a China terá o maior mercado de entrada no país, com muitos dos turistas vindos da Ásia.

O crescimento económico e o elevado rendimento relativamente a outros países asiáticos mais próximos são as principais causas apontadas no “The Guardian” para o maior número de turistas.

O jornal britânico revelou ainda que a abordagem coesa e melhorada que a China tem feito relativamente ao turismo resultou não só numa melhoria das economias rurais mas também na promoção de um programa de turismo, o “all-for-one” que estimula a diversidade de culturas e a sustentabilidade ambiental.

As viagens que os residentes fazem dentro do país, as chamadas “domestic trips” também são importantes para que a China se proclame o destino mais visitado. Segundo o relatório da Euromonitor, em 2018 a população chinesa já viajou 4,7 mil milhões de vezes e prevê que em 2023 já tenham realizado mais de 60 mil milhões de viagens. Tal como na China, o relatório prevê um aumento de 10% nas viagens domésticas realizadas na Ásia.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. catarinagoncalves@magg.pt