Web Summit, dia 3. As 5 ideias mais fixes

Uma app que previne o cancro, outra que elimina o jetlag e ainda outra que denuncia o assédio nos transportes. Há ideias de todo o género.

Todos estes projetos aguardam investimento para poderem expandir o negócio

Para muita gente, as conferências, onde estão presentes alguns dos maiores empreendedores e diretores de empresas do mundo, são o que de melhor há para ver na Web Summit, mas há muito mais mundo para lá das palestras. A MAGG andou a circular pelos vários pavilhões à procura do que de mais criativo está a acontecer. E no terceiro dia, estas foram as cinco ideias que mais se destacaram.

Happy — a aplicação que previne o cancro

A Happyscore é medida consoante as mudanças que vão sendo feitas nos hábitos diários

Nunca é possível prevenir o cancro a 100%, mas há formas de ajudar a fazê-lo. Com a app Happy, a prevenção é feita através de uma mudança personalizada no estilo de vida do utilizador. Só é preciso inscrever-se, identificar o estilo de vida atual (se fuma, se bebe, se faz exercício, etc.) e, a partir daí, é feito um plano dos hábitos que a pessoa deve ter para prevenir determinadas doenças e vão sendo enviadas mensagens diárias aos utilizadores com uma espécie de lembrete. Através do GPD, a app identifica ainda a sua localização, para personalizar ainda mais os lembretes. Por exemplo, se a app reconhecer que está na praia ao meio-dia, irá avisá-lo para ir para a sombra. O utilizador pode ainda ir vendo o seu “happyscore”, que vai de 0 a 150 (sendo 150 o melhor), para perceber se os seus novos hábitos estão a ser benéficos ou se não está a cumprir aquilo que a app lhe vai recomendando.

Timeshifter ou como evitar o jetlag

O Timeshifter tem vindo a ser usado por astronautos nos últimos dez anos

Uma colaboração entre esta startup, a NASA e a Harvard Medical School levou à criação da aplicação mais adorada por quem viaja muito. Desta colaboração, surgiu um algoritmo que ajudava os astronautas a eliminar o jetlag, para que pudessem executar o seu trabalho de uma forma mais segura, e que agora foi transformado numa app que pode ser utilizada por qualquer pessoa. A Timeshifter foi lançada há cinco meses, conta já com cerca de 30 mil utilizadores e consiste num plano que é criado para cada pessoa. O utilizador só tem que colocar o horário do voo e responder a algumas perguntas, como se é uma pessoa que gosta mais das manhãs ou das noites, por exemplo, e, a partir daí, é feito um plano em que avisa quando é que precisa de cafeína ou deve evitá-la, quando deve estar exposto à luz ou não, entre outros fatores que interferem com o jetlag. Segundo os fundadores, com a app, o jetlag passa quatro vezes mais rápido do que sem ela.

A Nina denuncia o assédio nos transportes públicos

Nina é uma api que se integra dentro das app's de transportes públicos

Para muitas mulheres no Brasil, andar de transportes públicos significa ser assediada. Só em 2017, foram assediadas 52 milhões de mulheres no Brasil e apenas 11% destas reportaram a situação. E foi a pensar nisso que Simony César criou a Nina. Uma api que pode ser integrada numa app de transportes, como um Uber, por exemplo, para que caso a pessoa, homem ou mulher, sofra de assédio, possa automaticamente denunciar ao carregar num botão. Esta denúncia é vista pela Nina e pela empresa de transportes em questão. A ideia é essencialmente incentivar as pessoas a reportar estes casos, criar consequências para quem assedia e ainda poder identificar as zonas onde os assédios são mais recorrentes e também os horários. O projeto fica pronto na próxima semana e pretende chegar a Portugal em breve.

Bello: uma viagem de bicicleta mais segura para todos

Através desta app, é possível evitar alguns acidentes de bicicleta

A ideia vem de Amesterdão, onde andar de bicicleta é tão natural quanto respirar, mas é pensada para ser usada principalmente em sítios onde possa haver mais constrangimentos. A app Bello apela à segurança e leva as pessoas que andam de bicicleta a poderem identificar na app os melhores caminhos, a qualidade de determinadas estradas, se uma ciclovia tem algum problema, está fechada ou se por acaso termina de repente, de forma a que quem consulte a app, possa ter uma viagem menos atribulada, mais segura e rápida. É uma partilha entre a comunidade de ciclistas (não profissionais) em que se ajudam mutuamente a manter seguros a estrada. Através do algoritmo, a Bello consegue melhorar o trajeto dos seus utilizadores, por exemplo do trabalho para casa, dando sugestões dos melhores caminhos.

Airway Bill — a app para quem quer ganhar um dinheiro extra enquanto viaja

Na app, o comprador consegue acompanhar a encomenda até chegar ao destino

Quantas vezes queremos comprar uma coisa que não existe em Portugal, ou que não é entregue no nosso país em compras online, e acabamos por ficar dependentes de alguém conhecido que vá a esse destino para nos trazer o que queremos? Várias. Foi nisso que Khaled Sehly, de Madrid, pensou quando criou a app Airway Bill. Através dessa plataforma, o utilizador que quer, por exemplo, comprar um relógio que só há numa determinada loja, nos Estados Unidos, faz o pedido na app, e depois é identificado um “estafeta” que está nesse local e que está disponível para ir comprar o produto e para levá-lo até à pessoa. Isto tem um custo extra de 10% para quem compra o produto e 8% desses 10 vai para o “estafeta”. Os restantes 2% ficam para a empresa. O pagamento só é feito no momento em que o utilizador recebe a encomenda em mãos, e aí o valor é retirado através do cartão de crédito. É uma forma de, para uns, conseguir aquele produto que tanto queriam, e, para outros, fazer dinheiro, numa viagem que já tinham marcada.

Texto de Fabíola Carlettis, fotografia de Samuel Costa.
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. fabiolacarlettis@magg.pt