Se os teasers que iam sendo partilhados faziam prever muitos momentos de tensão, o sexto episódio de “Pesadelo na Cozinha”, que estreou este domingo, 21 de outubro, confirmou isso mesmo. Ljubomir Stanisic viajou até Mangualde para ajudar o restaurante 2002 e encontrou um proprietário que o chef definiu como “pouco humilde”, “mimado” e “ingrato”. Além de uma cozinha ineficiente, suja e uma decoração desleixada por todo o restaurante, o episódio ficou marcado pelos confrontos constantes entre o chef e o proprietário que nunca mostrou ser capaz de reconhecer as suas falhas.

No dia seguinte à transmissão do programa, Rafael Ribeiro esteve no “Você na TV” onde falou da sua experiência, da relação conflituosa que teve com Ljubomir Stanisic, e das acusações de que foi alvo.

“É muito injusto dizerem isso quando não me conhecem e nem imaginam aquilo por que passei. Já passei por muito na vida e podia ter escrito um livro só com isso”, defendeu-se. Quando Manuel Luís Goucha o confrontou com as acusações de Ljubomir, que disse que o proprietário não tinha vocação para a cozinha ou para gerir um restaurante, Rafael desvalorizou. “Posso não ter vocação para a restauração. Mas sou novo e há muita coisa que ainda posso aprender”, continuou.

Mas o proprietário não tem dúvidas de que o restaurante não estava assim tão mau como o chef Ljubomir dizia, e acusou-o de mentir quando disse que a dourada estava horrível — visto que momentos antes lhe tinha dito que estava ótima.

“A minha perspetiva não tem nada a ver com a do chef. Como é que podia concordar com o que ele ia dizendo? Perguntei-lhe como estava a dourada e ele disse que estava maravilhosa.” O que Rafael não percebeu é que o chef estava a ser irónico e, na verdade, nem a dourada tinha passado no teste.

“Pesadelo na Cozinha”. O dono do 2002 tem 25 anos e sabe o que os clientes querem: não é o mesmo que Ljubomir quer

Quanto à decoração, Rafael Ribeiro diz que foi esse o principal motivo que o levou a chamar a produção da TVI. Além da falta de clientes, era a decoração inacabada e até mesmo desleixada que dava mau aspeto ao restaurante e era nisso que Rafael mais estava focado. “Na altura não pensei nos ensinamentos do chef, mas sim nas obras e na renovação do espaço”, mas diz que tanto ele como os clientes estavam à espera de mais.

“Gosto e não gosto do restaurante. O fogão ficou muito alto e as minhas funcionárias estão fartas de se queimar. Em termos de decoração, está mais aberto, sem dúvida, mas dava mais valor ao que estava antes. Os clientes dizem que o restaurante agora tem um ar renovado, mas que estavam à espera de mais.”

A carta proposta pelo chef foi para o lixo e, atualmente, Rafael continua a servir a mesma comida que servia antes da chegada de Ljubomir a Mangualde. E a julgar pelo tipo de respostas que deu a Manuel Luís Goucha, há também poucas indicações de que o seu comportamento tenha mudado.

É que quando o apresentador lhe perguntou se agora tinha a preocupação de verificar se as frigideiras eram limpas diariamente (depois de Ljubomir ter encontrado frigideiras antigas completamente negras), o proprietário respondeu com um sorriso. “Não tenho necessidade porque tenho frigideiras novas na cozinha.”

“Pesadelo na Cozinha”. Tudo o que aconteceu no restaurante 2002