Crónica de um espião no Portugal Fashion #03. Boobing, dummying e bimbs são as novas tendências

Tentei não levar com mamas na cara e coloquei óculos escuros para evitar ver o que não queria. Conheçam estas tendências criadas por mim.

Esta moça é adepta do boobing, uma tendência muito forte no Instagram

Tenho andado aqui a enganar toda a gente. Já por várias vezes disse aqui que não percebo nada de moda, mas não é verdade. Sou um expert. Ao ponto de eu próprio ter criado nomes para as tendências que mais identifiquei nestes três dias de Portugal Fashion. Querem ver? Então cá vai.

Se tivesse de destacar uma tendência bem forte, que vi abundantemente por aqui, seria o boobing. Não conhecem? É normal, fui eu que inventei. E o que é o boobing?, perguntam vocês. Ainda não chegaram lá? Estão a ter um ataque de dummying, que é outra tendência fortíssima por aqui? Então eu explico primeiro uma e depois a outra.

Boobing é aquela tendência de esfregar as mamas na cara de quem passa. São aqueles decotes até ao joelho, que mostram mais mama do que se a dona da blusa ou do vestido viesse nua da cintura para cima. Registei com agrado uma forte adesão ao boobing no Portugal Fashion, e, em muitos casos, entendi perfeitamente o porquê de muita mulher querer desviar a atenção para as mamas. Acho que me percebem. Espero que o boobing, muito forte em vários instagrams desse País, continue em alta nos próximos anos. Pode não ser classy, mas ao menos distrai, homens e mulheres.

Vamos ao dummying. Então o dummying é basicamente a tendência de evidenciar laivos de burrice. É muito comum encontrá-la nas filas de entrada para os desfiles, onde se acumulam pessoas que estão entusiasmadíssimas para assistir ao desfile de um criador de que nunca ouviram falar, sobre o qual não sabem rigorosamente nada, mas que irão aplaudir entusiasticamente de pé depois da apresentação da coleção, mesmo que não tenham visto nenhuma peça de roupa porque estavam a escolher o filtro da foto que iam pôr no instagram com os #FashionLover #TrendSetter #IloveMyLife.

Mas há mais. Identifiquei também muito a tendência bimbs. A bimbs é característica daquelas pessoas que trazem às modas todas as peças de todos os padrões que andaram a acumular no último mês. Quando se mistura bota animal print com vestido polka dots, mala rosa choque, cinto metalizado, casaco xadrez e um chapéu à blogger normalmente isso gera a tendência bimbs. No fundo, isto é gente que está muito à frente, porque consegue, num só look, incorporar todas as tendências e mais algumas, e no final atinge o éden chegando ao bimbs.

Esta senhora é uma digital influencer que fala estrangeiro e é uma seguidora da tendência bimbs. Muito à frente

Por fim, queria registar outra presença forte de uma nova tendência, o coxalite. Parece ter qualquer coisa a ver com Coachella, não é? Mas não. No Coachella vê-se pouco disto. Coxalite é a tendência que mistura coxa grossa com celulite. E o que eu vi aqui disso? Ui. Em barda. E não estou a falar da Cristina Ferreira nas suas botas, estou mesmo a referir-me às muitas, muitas mulheres que andaram por aqui a exibir os tronquinhos enfiados em minissaias curtas, muitas vezes embrulhados em meias de rede, o que às vezes ajudava a atenuar o choque que uma pessoa sente a ver aquilo. Mas na boa, hã? Força nisso, cada um é como é, e ninguém tem nada a ver com isso. #MulheresReais #Coxalite.

Então e o que é que se passou mais por aqui? Pouca coisa. Vi a senhora Cláudia Jacques, e as saudades que eu já tinha dela… ou será que não era ela? Seria? Foi assim a minha reação. Eu conto. Vi-a ao longe e pensei “Querem ver que é a querida da Cláudia Jacques?!”. Aproximei-me, também para ver se tinha aderido à tendência boobing, de que é adepta há muitos anos. Cheguei-me mais perto e… ooooops, afinal não é. Voltei costas. Olhei outra vez. “Eh, pá, parece mesmo ela. Vou ver outra vez”. Como quem não quer a coisa, voltei a passar por ela, de mãos nos bolsos, a assobiar. Naaaa, não é. Ou é? Era. Afinal era. As plásticas às vezes fazem destas coisas.

Como já falei muito de tendências não queria pôr-me para aqui a falar de desfiles, que isso deve aborrecer-vos. Só uma palavrinha final para a amorosa Raquel Strada, que é para aí a mulher mais tchan a vestir em Portugal (isto é um elogio). Hoje estava gira com um fato de bombazina castanho que eu lhe emprestei na semana passada. Era dois números acima do dela, mas pronto, à Raquel fica tudo bem. Já à Olívia Ortiz… bom, fica a foto e julguem vocês, que eu não sei o que dizer disto.

Isto que a Olívia Ortiz tem vestido é meio vestido, meio calças, com umas botas de vaqueiro. Está giro, está giro.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. leitor@magg.pt