“Para a Escuridão” é o novo filme da Netflix que tem mesmo de ver (mas prepare-se, que é muito violento)

Conta a história de uma vila onde crianças estão a ser sequestradas e, possivelmente, mortas por lobos.

No papel principal está Jeffrey Wright, conhecido pela sua prestação em "Westworld"

Netflix

Estamos na pequena vila fictícia de Keelut, no Alasca, onde os miúdos saem às ruas cobertas de neve para brincar uns com os outros. Tudo parece estar bem até que, de repente, aparece um lobo que provoca gritos e momentos de pânico das crianças. A mãe apercebe-se do que aconteceu e, quando olha pela janela, teme o pior: o lobo e os miúdos desapareceram, deixando apenas os brinquedos semi-cobertos pela neve, como única prova do que aconteceu.

É esta a premissa de “Para a Escuridão”, o novo filme da Netflix que a crítica internacional já considera ser o “mais violento de todo o catálogo” da plataforma. É que após o desaparecimento dos miúdos, a mãe (Riley Keough) contrata Russel Core (Jeffrey Wright), escritor e perito em lobos, com o objetivo de descobrir o que aconteceu àqueles miúdos — será que foram mortos ou simplesmente levados pelos lobos? Por que motivo? E quão difícil será resgatá-los?

São todas estas perguntas a que a personagem principal terá de tentar responder, enquanto se vê envolvida numa missão de sobrevivência que pode revelar-se fatal a qualquer instante.

Segundo a revista “Vice”, o novo filme da plataforma norte-americana segue a tendência de filmes violentos e gráficos a que Jeremy Saulnier (“Ruína Azul”), o realizador, já nos habituou no passado. Exemplo disso mesmo é o filme “Green Room”, que conta a história de como uma banda de punk rock é obrigada a lutar pela sobrevivência depois de testemunhar um assassinato num bar frequentado e gerido por vários grupos de extrema-direita.

A mesma publicação escreve ainda que apesar de “Para a Escuridão” seguir a mesma tendência a nível estético, já que apresenta momentos muito violentos com jorrar de sangue, desmembramentos e até lutas entre animais, é talvez um dos filmes mais cruéis do realizador. “Há mais mortes e mais sequências de violência explícita, mas mesmo assim nota-se que há uma evolução na maneira como explora a sua arte e a apresenta ao público.”

O filme, que estreou na Netflix a 28 de setembro, tem sido recebido com algum ceticismo devido ao tipo de cenas que são mostradas durante o filme. Seja como for, isso foi mais do que suficiente para pôr as pessoas a falar e a comentar a história e o elenco que é composto por alguns nomes conhecidos como Jeffrey Wright (“Westworld”), Michael Tayles (“Estamos Vivos”) e Alexander Skarsgård (“Melancolia”).

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]