Crítica. Uma volta ao mundo em biquíni, com a Cia. Marítima

Cia. Marítima é sinónimo de férias, de dias longos de praia e cada vez mais de moda também. Entre nesta viagem e conheça o que aí vem.

A modelo portuense Francisca Pérez desfila todos os anos para a Cia. Marítima na ModaLisboa

Carla Oliveira

Ainda agora estamos a entrar no outono e já queremos saltar novamente para o verão. E a culpa é da Cia. Marítima e da coleção com cheiro a praia, que acaba de apresentar na ModaLisboa, pelo décimo ano consecutivo.

Um desfile com uma banda sonora que nos transportou imediatamente para uma festa sunset num bar de praia, e que começou e acabou com a modelo que também já desfilou para a Victoria’s Secret, Sharam Diniz.

“Passaporte Carimbado” foi o nome escolhido pela marca brasileira para uma coleção que reúne inspirações de várias partes do mundo. Uma viagem com paragem no Rio de Janeiro, em Miami, em Tulum, no Hawai, em Tokyo, na Cidade do Cabo e em Mykonos. Destinos que serviram de inspiração e que são, aliás, os nomes de alguns dos padrões usados nesta coleção.

Para a primavera/verão de 2019, a Cia. Marítima aposta em cores bastante diferentes das que estamos habituados a ver nas estações mais quentes, como o azul marinho, o preto ou o vermelho escuro tipo tijolo. O branco, areia, amarelo, verde, rosa barbie e azul bebé também fizeram parte do desfile.

Além dos fatos de banho, a marca apresentou, como faz sempre, a sua linha de roupa de praia. Vestidos, macacões, saias, calças, calções, esvoaçantes e com tecidos frescos como o linho, por exemplo.

Biquínis, fatos de banho e triquínis fáceis de vestir, ao contrário daqueles que temos visto ultimamente em que é preciso um doutoramento para conseguir vesti-los. São boas notícias, portanto.

Mas a verdade é que, apesar de este ser sempre um desfile bonito, animado e inspirador, nesta edição, houve algo que faltou. Não houve nada de surpreendente, que nos deixasse de boca aberta ou com vontade de ir a correr comprar um biquíni, nem que seja para o usar só daqui a oito meses.

Na realidade, a roupa acabou por ser uma surpresa maior do que os biquínis. Só não sabemos se pelas cores menos vivas, se pelos padrões menos tropicais, ou se por faltarem alguns dos modelos mais icónicos da marca.

Queremos, de qualquer forma, que o verão venha rápido e que estejamos em breve na praia com um biquíni, fato de banho ou triquíni Cia. Marítima, claro.

Texto de Fabíola Carlettis, fotografia de Carla Oliveira.
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]