Barbie Awards. Os conselhos das mulheres portuguesas premiadas para as raparigas

No Dia Internacional das Raparigas, a Barbie é prémio para portuguesas de várias áreas que inspiram as gerações mais novas. Como?

A Barbie de Cláudia Vieira tem um vestido igual ao que usou numa cerimónia dos Globos de Ouro

A Barbie, marca da Mattel, acaba de entregar os Barbie Awards 2018 a dez mulheres portuguesas que consideram ser inspirações para as novas gerações de raparigas. Um projeto mundial que tem como objetivo identificar mulheres que podem ser modelos para outras futuras mulheres.

A MAGG falou com as homenageadas que estiveram presentes na entrega dos prémios na quinta-feira, 11 de outubro, Dia Internacional das Raparigas, para perceber de que forma é que cada uma delas acredita que inspira as gerações mais novas.

Joana Vasconcelos

Já representou Portugal na Bienal de Veneza, já expôs em Versailles, e tem um estilo irreverente e inconfundível. Joana Vasconcelos é a artista plástica mais conceituada atualmente em Portugal. Caminho que só conseguiu com “convicção, determinação ao fazer aquilo que vai dentro do meu coração e que é verdadeiro. O conselho que eu posso dar é que não há uma vida correta, uma profissão certa. A pessoa deve seguir aquilo que está dentro do seu coração e nunca desistir de encontrar essa identidade. Seguir as convicções é fundamental e não se deixarem levar pelo que são as tradições ou pelo que os pais querem“, afirma.

Cláudia Vieira

Cláudia Vieira é atriz, mãe e uma das caras mais conhecidas da televisão nacional. O seu sucesso na carreira levou a que a Mattel a considerasse uma inspiração. Mas esse não é o atributo que a atriz considera mais importante, conforme explicou à MAGG: “Ser fiel àquilo que eu sou é o que importa. Eu não deixo nunca de ter consciência de quem sou, de onde sou, de como sou, independentemente do sítio onde estou, e acho que esse é dos maiores atributos que podemos ter. Esta homenagem para mim significa que me apresento sempre de forma elegante, sofisticada, que é um pouco o que esta boneca também nos transmite.”

Raquel Strada

Atriz, apresentadora, blogger, it girl. Raquel Strada é uma das principais referências da moda portuguesa e considera que o seu trabalho nessa área tem sido muito mais do que mostrar apenas o lado “glamouroso”. “Trabalhar com moda é muito interessante, mas também é preciso saber o que está por trás da industria e eu acho que tenho feito um pouco esse trabalho. E tento passar amor e felicidade através das fotografias, não é a estética que mais me preocupa. Quero ser inspiradora, mas de uma forma positiva. Ser verdadeiro é o mais importante. A nossa identidade é a nossa mais valia, seja ela o que for. Tento ser fiel a mim própria e fazer o que gosto e inspirar as pessoas.”

Joana Schenker

Joana Schenker é luso-alemã e aos 31 anos é uma referência no bodyboard a nível mundial. É uma das dez homenageadas e acredita que persistência é a palavra-chave do sucesso, conforme explicou: “As pessoas não devem desistir dos seus sonhos, porque se queremos muito alguma coisa, se gostamos muito dela, temos de nos esforçar, manter o foco e mais cedo ou mais tarde vamos conseguir. Eu faço bodyboard há 17 anos, compito há 15 e só depois de 15 anos, em 2017, é que venci o circuito mundial e fiz história no desporto português. A persistência dá frutos. Mas também é importante divertirmo-nos ao longo desse caminho.”

Zita Martins

Portugal é cada vez mais falado por várias conquistas na ciência e é por pessoas como Zita Martins que isso acontece. A astrobióloga também recebeu uma Barbie inspirada em si e partilhou com a MAGG que acredita que sem lutar, não se chega a lado nenhum. “Acho que tenho vários atributos. Sou sonhadora, batalhadora e tenho uma grande paixão pelo que faço. E fui pioneira. Daí ser uma inspiração, porque quando se é pioneira tem-se um longo caminho a batalhar. Ser uma inspiração e ganhar prémios como este ou outros, traz uma grande alegria, mas, acima de tudo, muita responsabilidade.”

Telma Monteiro

Ganhou uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 2016 e uma medalha de ouro na Rússia. Telma Monteiro, de 32 anos, é a grande referência feminina do judo em Portugal e uma das vencedoras do Barbie Awards 2018. “Considero-me uma pessoa resiliente, determinada, sonhadora e coerente. Acho que temos que ser determinados, humildes, lutar por aquilo em que acreditamos. A sociedade está cada vez mais competitiva, mas temos que conseguir chegar àquilo que queremos, sem nos desviarmos dos nossos valores. Conseguir conciliar a ambição com os nossos valores é o mais importante”, explica.

Madalena Amaral

Na Polícia de Segurança Pública, PSP, há quase 40 anos, a comandante do Comando Regional da Madeira, Madalena Amaral, foi a primeira mulher a assumir este cargo nesta instituição. E apesar de não se considerar um exemplo, acredita que com este prémio e com as mudanças na polícia nacional, pode inspirar algumas raparigas a seguir o seu percurso. “Considero-me uma mulher lutadora. Lutei pelos meus sonhos e fui agarrando as oportunidades que me foram dadas, e já estou na PSP há quase 40 anos. A nossa polícia já está muito diferente. Hoje em dia a presença feminina na PSP está perfeitamente cimentada e esta boneca é a prova disso, que todas as meninas podem alcançar os seus sonhos, ser profissionais de polícia e subir na carreira até postos cimeiros, como eu.”

As fadistas Gisela João e Ana Moura e a jornalista Conceição Queiroz (que não estiveram presentes na cerimónia) também fizeram parte deste grupo de homenageadas que receberam uma Barbie inspirada na sua imagem. As bonecas foram criadas por Raul Lopes, do The Doll Stylist, em parceria com a Mattel.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. fabiolacarlettis@magg.pt