Depois de uma vida a idealizar o meu vestido de noiva e depois de quase cinco meses a projetá-lo com a Pureza Mello Breyner, chegou finalmente o dia de o usar. O dia do meu casamento.

Foi um dia muito esperado e, por isso, de grande nervosismo e ansiedade. Mas foi tudo ainda melhor do que alguma vez imaginei. Sentir-me uma princesa com este vestido também ajudou.

Ficou simples, clean e elegante como pedi desde o primeiro dia em que passei as minhas ideias. O facto de ter pedido um vestido sem quaisquer rendas, foi uma grande surpresa para a Pureza, que tem nas rendas a sua imagem de marca, e um desafio ainda maior, segundo me disse.

O quarto e último passo para criar o meu vestido de noiva

Um tecido liso, a parte da frente subida, uma cauda comprida e as costas completamente destapadas. São, ironicamente, as costas o elemento principal do vestido. Para rematar, dois bolsos e um véu tão simples como o vestido. “Tens a certeza que não queres pelo menos um laço, um bordado, um pormenor qualquer de renda?”, perguntaram-me várias vezes. Mas sempre soube que também no meu vestido de noiva ia adotar o lema “less is more”.

Apesar de parecer à partida mais prático e barato comprar um vestido de noiva já feito, estou muito contente por ter optado por criar um de raiz. Um vestido feito pela Pureza pode ter vários valores, dependendo do modelo e materiais usados, começando nos 1.800€.

Ainda que possa causar algum stresse o facto de não saber como vai ficar, acabou por ser um processo fácil, porque logo desde o início Pureza conseguiu perceber o que eu queria. O pior foi mesmo estar constantemente a ter que apertar o vestido, porque não parei de emagrecer até ao minuto em que disse o sim.

Infelizmente o dia passa a correr e já não posso voltar a vestir o meu vestido. Fica guardado, caso a minha filha um dia se queira casar com ele.

7 fotos