Depois de algumas polémicas, proprietários conflituosos e empregados desajeitados, o quarto episódio de “Pesadelo na Cozinha” foi meio morno. Estreou este domingo, 7 de outubro, e mostra os esforços de Ljubomir Stanisic para tentar salvar o restaurante chamado Miquipal, localizado na Parede, em Cascais. O dono chama-se José Bentes e, apesar de não ser um proprietário difícil, é sempre o alvo de pancada de Ljubomir que durante todo o episódio o vai alertando para a quantidade de erros que vai cometendo. Sem grandes situações de polémica ou tensão, houve frases memoráveis, momentos completamente WTF e um novo recorde de palavrões ditos durante o programa.

A MAGG analisou o quarto episódio à lupa e mostra-lhe tudo aquilo que aconteceu.

O pior do restaurante

José Bentes, proprietário do restaurante Miquipal, queixa-se da falta de clientes e da dificuldade que tem sentido em manter o negócio estável. Se num dia bom podia ter o restaurante completamente cheio, no dia seguinte tal já não acontecia e o restaurante estava vazio. As contas não se pagam sozinhas e vão-se acumulando, e tanto o é que o risco de falência está iminente. Mas os problemas começam logo à entrada do espaço, quando o chef Ljubomir Stanisic vê os preços elevadíssimos da carta que aposta em várias opções de marisco.

O melhor do restaurante

Se este foi um episódio sem grandes polémicas, também é verdade que não trouxe grandes surpresas e isso serviu para mostrar o quão mediano era o restaurante Miquipal. É que o espaço gerido por José Bentes não se destacou em nenhuma categoria — os pratos eram maus, a decoração era aborrecida e o serviço era assim-assim.

Por isso, o melhor do Miquipal foi simplesmente o facto de não ter problemas graves e escandalosos de higiene em todo o restaurante. Ufa, menos mal.

De quem é que gostámos mais

Estamos muito divididos, é que embora todos os confrontos de Ljubomir Stanisic tenham sido com José Bentes, este não é daqueles proprietários casmurros e irritantes que querem tudo à sua maneira. Via-se claramente que em todas as cenas onde entrava, José estava sempre muito tenso, nervoso e com medo de errar — o que é perfeitamente natural e compreensível para uma pessoa que tem o negócio em risco e vê um chef reconhecido internacionalmente a tomar conta da sua cozinha e a apontar-lhe todos os defeitos. Nunca foi indelicado ou arrogante, mas tocou-lhe a ele fazer o papel de antagonista. Faz parte.

O dono do Miquipal teve de tomar seis calmantes por dia durante o “Pesadelo na Cozinha”

Apaixonámo-nos também por Laura, a ajudante de cozinha mais fofinha de sempre, que desde logo revelou ao chef que as suas filhas o admiravam. Laura mostrou-se muito calma e empenhada em aprender novas formas de cozinhar e conhecer novos sabores e nunca virou costas a um desafio. Prova disso foi o facto de ter sido convidada pelo chef para conhecer o seu Bistro 100 Maneiras, onde até deu uma mãozinha durante o serviço.

O prato da polémica

Não temos dúvidas: elegemos a paella de mariscada para pior prato servido durante o episódio. Além de ter pouco sabor e estar mal cozinhada, tinha um cheiro muito forte a podre e a amoníaco. As suspeitas de Ljubomir confirmaram o pior, aqueles produtos não eram frescos e estavam cozinhados há mais de três ou quatro dias — e a lagosta aberta ao meio e completamente podre por dentro foi o suficiente para que o prato fosse para trás. “Eu estou preocupado com a saúde pública e isto é um atentado”, lamentou Ljubomir.

“Eu só cozinho com produtos frescos”, disse José, momentos depois de Ljubomir ter mandado os percebes de entrada para trás devido ao cheiro a lixívia. “Isto está cozinhado há quatro dias e é tudo menos fresco.”

O momento mais WTF

Houve alguns momentos estranhos durante o episódio, como quando no início da refeição o chef cobre a cara com película aderente e faz caras esquisitas para a câmara. Ou quando pegou em alface, tomate e limão e meteu-os na testa para fazer de conta que era o Rei Julião do filme “Madagáscar”.

Mas José também foi protagonista de alguns dos momentos mais WTF, como quando foi à caixa registadora mexer em dinheiro e logo a seguir pegou em ostras com a mesma mão que momentos antes tinha estado a tocar em notas e moedas. Pior que isto só quando mandou quilos de marisco para o lixo por estarem estragados.

O momento mais violento

O confronto entre José e Ljubomir quando, mais uma vez, o chef alertou para o cheiro a amoníaco da cataplana de marisco que José queria servir a um cliente. O chef bateu com a colher na bancada e perguntou-lhe se ele tinha a certeza de que aquilo estava bom para ser servido. José hesitou e levou Ljubomir à raiva. “Continuas sem provar a comida e a servir o que te apetece aos clientes”, gritou o chef.

O momento mais fofinho

O momento mais fofinho é talvez quando o chef pergunta a Laura se gosta de cantar alguma canção enquanto cozinha. “Geralmente gosto muito de cantar músicas do Tony Carreira”, respondeu e depressa se juntaram os dois para uma sessão de bailarico ao som de alguns dos êxitos do músico português.

O que falha na higiene do restaurante

Apesar de não terem existido grandes polémicas ao nível da higiene, havia um grande problema no que tocava à conservação do peixe. Foram deitados fora quilos e quilos de marisco, bem como douradas e corvinas secas e estragadas, ou lulas que cheiravam mal e que eram, segundo Ljubomir, “um autêntico perigo e veneno para a saúde pública.”

“Pesadelo na Cozinha”. O que se diz na internet sobre a Marisqueira Miquipal

Quem disse mais palavrões?

Ljubomir Stanisic disse 61 palavrões, quase todos eles direcionados a José, que apenas disse dois durante todo o episódio.

As frases mais engraçadas

  • “Comer este percebe é começar a refeição com uma caganeira. Não há outra maneira de dizer isto, vou-me cagar todo aqui.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Às vezes o que mais me apetece é levantar da mesa e dar umas cabeçadas, caralho.” (Ljubomir Stanisic)
  • “O que eu mais gosto de comer é a minha mulher.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Isso não é cortar o peixe em pedaços, é fodê-lo todo.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Tenho duas coisas a dizer: foda-se. Mas como não posso dizer foda-se, vou dormir.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Estou a ver as cuecas da dona Adelina, o soutien da senhora Maria, e tu achas que me apetece comer lavagante, caralho?” (Ljubomir Stanisic)
  • “A cozinha é igual ao sexo, é só prazer.”

A frase do episódio

  • “Se eu entrasse aqui e tu servisses esta merda ao meu filho eu cortava-te a pila e deixava-te a sangrar da picha toda. Juro-te pela saúde dos meus filhos.” (Ljubomir Stanisic)