É a terceira doença crónica mais comum entre os adolescentes, a seguir à obesidade e à asma, e atinge sobretudo o sexo feminino: a anorexia nervosa, uma perturbação alimentar causada pela visão distorcida do próprio corpo, mata 2% das pessoas que dela sofrem.

Por mais que esta doença ainda seja vista com algum preconceito e encarada como “mania das magrezas”, a verdade é que se trata de uma condição séria e grave que pode até levar à morte — mas também há histórias com um final feliz, mesmo quando o cenário parece ser o mais negativo possível.

Foi o que se passou com a escocesa Fee Chrystall, uma lutadora de MMA (artes marciais mistas), hoje com 25 anos, que sofre de anorexia nervosa desde os 11 anos e cujos médicos a consideravam uma causa perdida. Tal como relata na sua página de Instagram, Fee Chrystall e a sua mãe ouviram a comunidade médica dizer-lhes que não havia nada a fazer, dado que sofria da doença “há tanto tempo e estava tão avançada que provavelmente ira sempre sofrer de anorexia crónica”.

Anorexia nervosa. Descubra se os seus filhos estão a ser vítimas desta doença

Mas a lutadora de MMA desafiou as expetativas e começou a sua recuperação pouco depois de ouvir o negativo prognóstico dos médicos. Sete anos depois, a escocesa partilhou nas suas redes sociais uma incrível e chocante imagem de antes e depois, onde, na fotografia esquelética da esquerda, é visível o estado avançado da doença e, na da direita, o progresso de Fee Chrystall.

“Nunca tinha mostrado a ninguém, para além da minha família e de alguns amigos chegados, a imagem da esquerda. E sei que não é bonita, mas tenham paciência comigo”, escreveu Fee na publicação das fotos na sua página de Instagram, onde confessa saber que a sua batalha contra a anorexia nervosa nunca vai acabar completamente.

Ao site desportivo “Bleacher Report”, a escocesa afirmou que, para tentar vencer a doença, passou a focar-se em ser “forte, atlética e saudável, ao invés de parecer um esqueleto. É claro que ainda tenho pensamentos negativos mas estou num ponto em que os consigo racionalizar e vencer”. Na publicação nas suas redes sociais, Fee Chrystall oferece apoio a todas as pessoas afetadas por distúrbios alimentares que acreditam que a recuperação não é uma hipótese: “A recuperação nunca é inalcançável. É possível e maravilhosa”.