“Pesadelo na Cozinha”. Muitos palavrões, um filho ingrato e a relação fofinha de Ljubomir e dona Adelina

Frigideiras queimadas, frases míticas e até uma desistência — houve de tudo no terceiro episódio do popular programa da TVI.

O terceiro episódio de "Pesadelo na Cozinha" passa-se no Adiafa, em Santarém

Madalena Traguil

Tal como o chef Ljubomir Stanisic, também nós ficámos surpreendidos com o que assistimos na cozinha do Adiafa, o terceiro restaurante de “Pesadelo na Cozinha”, cujo terceiro episódio foi transmitido no passado domingo. Com os tempos gloriosos do espaço ribatejano no passado, o Adiafa precisava urgentemente da ajuda do chef. Entre a excessiva gordura utilizada na cozinha, as frigideiras queimadas com molhos de dias e muitos ingredientes congelados, Adelina Pinheiro, cozinheira principal e proprietária, foi das primeiras a receber a ajuda de Ljubomir Stanisic de braços abertos, demonstrando muita humildade e vontade de aprender — mas nem todos os elementos do staff do Adiafa estavam prontos para as mudanças incutidas pelo conhecido chef e existiram momentos de fricção ao melhor nível (e com direito a luvas de boxe).

A MAGG analisou o terceiro episódio à lupa e mostra-lhe tudo aquilo que aconteceu.

O pior do restaurante

Os produtos congelados e a má gestão na cozinha foram certamente um dos obstáculos mais complicados de ultrapassar pelo chef. Isso e as tiradas de sabichão de Aires Filipe, o filho dos proprietários.

O melhor do restaurante

Aberto desde 1971, o Adiafa é um restaurante com muita história e há que saber dar valor ao passado. O próprio Ljubomir Stanisic rendeu-se às memórias dos banquetes organizados pelo pai de Aires, o proprietário original, e surpreendeu Aires e Adelina com um pequeno festim no final do programa. Quanto a pratos, os chocos grelhados foram a sugestão mais elogiada por Stanisic.

De quem é que gostámos mais

Empate técnico: não conseguimos decidir entre Adelina e Zé Narciso. Enquanto a proprietária nos aqueceu o coração com a sua humildade e vontade de aprender, o empregado de mesa enfrentou os cinco dias de gravações com um sorriso, cantoria e até confortou Adelina num momento mais stressante. E ficámos com a sensação que não é grande fã de Aires Filipe, o que lhe faz ganhar pontos na nossa consideração.

De quem é que gostámos menos

Sem grandes surpresas, Aires Filipe ganha o título de pessoa mais odiada do programa. Arrogante, pouco humilde, e até um pouco cobarde (até porque só falava do chef nas costas), o filho dos proprietários inscreveu o restaurante no “Pesadelo na Cozinha” mas foi o primeiro a desistir quando tudo se começou a complicar, conseguindo culpar os pais pelo caminho. Ainda regressou para o dia da inauguração, mas nem um pedido de desculpas a quem quer que fosse se ouviu da sua boca.

Adelina e Zé Narciso ganharam o nosso coração; Aires Filipe foi a pessoa mais odiada

O prato da polémica

Não existiu nenhum prato muito polémico neste programa. Porém, o chef foi aos arames com a quantidade de gordura usada na confeção, com a forma como os alimentos eram embalados e com as frigideiras queimadas.

O momento mais WTF

A utilização excessiva de produtos congelados e a forma como eram manejados foram uma das críticas mais apontadas pelo chef ao staff do Adiafa. No momento mais caricato do programa, Aires Filipe tenta convencer Ljubomir que a carne não estava congelada, quando tal era bastante visível. Para que o filho dos proprietários mudasse de ideias, o chef coloca um capacete amarelo (muito ao estilo Bob, o Construtor) e obriga todos a fazerem o mesmo para bater com o pedaço de carne na cabeça e provar que a mesma está congelada.

O momento mais violento

Foi notória, desde o início do programa, a fricção entre o chef e Aires Filipe. Sem a presença de Ljubomir, o empregado de mesa disse ter vontade de “bater na tromba” do chef e, no dia seguinte, Stanisic fez-lhe a vontade — o chef disse a Filipe que há duas coisas que gosta de fazer na vida, “cozinhar e andar à porrada”. Ofereceu umas luvas de boxe ao filho dos proprietários e a oportunidade de transformarem o programa num autêntico ringue. Aires Filipe não aguentou a pressão e abandonou as gravações nesse dia.

O momento mais fofinho

A ligação entre Ljubomir Stanisic e Adelina foi quase instantânea. E como não derreter quando o chef se dirige à cozinheira e lhe diz que é “muito bonita”? Adelina não se ficou e retribuiu o elogio.

O que falha na higiene do restaurante

Apesar de não ser um dos restaurantes mais sujos que já passaram pelo “Pesadelo na Cozinha”, não conseguimos ultrapassar a gordura que pingava do exaustor e as frigideiras queimadas, em que o conteúdo do molho se fundia com o excesso de queimado. Ah e a barata, ainda vimos uma barata a passear no chão da sala do restaurante.

Quem disse mais palavrões?

Dos 26 palavrões ouvidos neste episódio, apenas três saíram da boca de Aires Filipe, o filho dos proprietários. Os restantes 23 foram ditos por Ljubomir Stanisic, curiosamente, quase sempre dirigidos a Aires Filipe.

As frases mais engraçadas

  •  “Queres-a?” (Aires Filipe)
  • “Completamente incépido.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Não sei dizer o nome dele. Lubodjomir.” (Adelina)
  • “Aqui em Santarém costumamos enfrentar o touro pelos cornos. Não estou a chamar touro ao chef.” (Aires)
  • “Chef, venha-me ensinar que eu gosto de aprender. Mas não ralhe comigo que eu choro.” (Adelina)
  • “Você tem direito. É uma ser humana.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Está aqui uma festa que é a festa da caganeira.” (Ljubomir Stanisic)
  • “Quero que a minha mulher olhe para mim e fique a pingar por todo o lado.” (Ljubomir Stanisic)
  • “São testículos de boi.” (Ljubomir Stanisic);  “Não sei temperar isso.” (Adelina)

O antes e depois

Texto de Catarina da Eira Ballestero e Ana Luísa Bernardino.
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]