As 6 séries que foram canceladas depois de ganharem um Emmy

É impensável falar de "Twin Peaks" e dizer que foi um flop, mas a verdade é que a série de culto acabou após duas temporadas.

"Arrested Development" recebeu seis Emmy e um Globo de Ouro — mas nem isso evitou um cancelamento pela Fox

IMDb

É já esta segunda-feira, 17 de setembro, que acontece a nova cerimónia de entrega dos Emmy em que séries como “A Guerra dos Tronos”, “The Handmaid’s Tale”, “Westworld”, e “The Americans” lideram as nomeações. A MAGG já lhe mostrou os oito atores que deveriam ter ganho uma estatueta e não ganharam, como James Gandolfini (“Mata-os Suavemente”) e Bryan Cranston (“Argo”) pelas suas prestações em produções de grande sucesso como “Os Sopranos” e “Breaking Bad”, respetivamente. Agora, fomos à procura de todas as séries que ganharam um ou mais prémios mas que, ainda assim, surpreenderam tudo e todos ao serem canceladas pouco tempo depois. Um dos exemplos é “Deadwood”, a série de culto da HBO que terminou cedo demais porque o número de audiências não era suficiente para justificar o investimento feito pelo canal. Mas há mais.

Estas são as 6 séries que foram canceladas pouco tempo depois de receberem um Emmy.

“Pushing Daisies”

A série de comédia da ABC, criada por Bryan Fuller (“Hannibal”), conta a história de Ned (Lee Pace), que com um simples toque é capaz de trazer de volta à vida qualquer pessoa que tenha morrido recentemente. Ainda assim, Ned tem de voltar a tocar na pessoa antes de passar um minuto. Caso contrário, outra pessoa morre para substituir aquela que Ned trouxe de volta.

“Pushing Daisies” estreou em 2007 e, apesar de os críticos de televisão e os fãs terem adorado a série, nunca conseguiu alcançar um grande número de audiências que justificasse o investimento da estação norte-americana. A greve em massa de vários argumentistas norte-americanos entre 2007 e 2008 também não ajudou, e “Pushing Daisies” foi mesmo cancelada depois de ter ganho sete prémios Emmy e três nomeações para os Globos de Ouro.

“Carnivàle”

Criada por Daniel Knauf (“The Blacklist”), a série passa-se na altura da Grande Depressão, nos Estados Unidos, e acompanha duas linhas narrativas diferentes que acabam por se interligar no decorrer dos episódios. A história dá a conhecer a vida de dois grupos de pessoas que se veem envolvidas numa luta constante pelo bem e o mal. “Carnivàle” mistura várias vertentes de teologia cristã, gnosticismo e maçonaria.

Depois de ter estreado em 2003, atingiu números recordes de audiências nunca antes vistos e o grande problema foi tentar manter esses resultados durante os restantes episódios. Mas não conseguiu e a série viria mesmo a ser cancelada em 2008, depois de 2 milhões de dólares investidos em toda a produção. Quando o último episódio estreou em televisão, grande parte da história estava ainda por concluir e o final não satisfez os fãs mais acérrimos da série. “Carnivàle” ganhou cinco Emmy mas nem isso foi suficiente para a salvar.

“Twin Peaks”

Quando uma jovem é encontrada morta na pacata vila de Twin Peaks, em Washington, nos Estados Unidos, o FBI é chamado para investigar o assassinato. Ao longo de vários episódios, o agente especial Dale Cooper (Kyle MacLachlan) vai descobrir os segredos mais obscuros de todos os habitantes daquela pequena região.

“Twin Peaks”, de David Lynch (“Mulholland Drive”), é já considerada uma das grandes séries de culto em todo o mundo, mas foi um daqueles casos em que as audiências não justificaram o investimento e a série chegou mesmo a ser cancelada em 1990 depois de duas temporadas. Mas não sem antes receber vários Emmy e Globos de Ouro. Ainda assim, o mundo não estava pronto para deixar a série de Lynch partir — prova disso foi o lançamento da prequela “Twin Peaks: Fire Walk With Me”, em 1992, e a renovação da série pelo canal Showtime em 2017, exatamente 25 anos depois de ter terminado na ABC.

“Firefly”

O western no espaço de Joss Whedon (“Os Vingadores”) passa-se no ano de 2517 e acompanha as aventuras de uma equipa desertora chamada Serenity. Juntos percorrem a galáxia a bordo de uma nave Firefly, numa luta constante para tentar evadir as forças especiais que os querem prender, bem como outros seres malévolos.

“Firefly” estreou na Fox em 2002 e foi cancelada no final da primeira temporada. A surpresa foi geral e depressa se gerou uma onda de indignação, já que era considerada uma das séries mais promissoras do ano. A contestação foi tal que o realizador avançou com um filme para dar continuação à história que tinha começado a ser contada em formato de série de televisão. “Serenity” chegou aos cinemas em 2005 mas, apesar de não ter sido um sucesso de bilheteiras, foi o suficiente para acalmar os fãs. A série ganhou um Emmy pela qualidade dos efeitos especiais que usava em cada episódio

“Deadwood”

A série de David Milch (“A Balada de Nova Iorque”) foi considerada um clássico desde que chegou à televisão em 2004. “Deadwood” conta a história de várias pessoas que, em 1870, são obrigadas a lidar com a corrupção e a violência de um faroeste bem mais sangrento e sujo do que aquele que se vê atualmente em “Westworld”.

A crítica desfez-se em elogios à série, muito devido aos diálogos que foram considerados os mais bem escritos de sempre para televisão. “Deadwood” ganhou oito Emmys e um Globo de Ouro ao longo da transmissão das três temporadas, mas a perda de audiências levou a um cancelamento prematuro. Porém, sabe-se agora que vai regressar em filme para dar continuidade à história e às personagens que começaram a ser desenvolvidas em 2004.

“Arrested Development”

“Arrested Development” dá a conhecer as aventuras e peripécias dos Bluth, uma família completamente disfuncional e que em tempos já foi muito rica. Nos primeiros episódios, um dos filhos, Michael (Jason Bateman), tenta assumir os negócios do pai depois de este ser preso.

A série, criada por Mitchell Hurwitz (“Sarilhos Com Elas”), foi muito bem recebida e levou a crítica e os fãs à loucura. E isso traduziu-se no número de prémios que foi arrecadando ao longo dos anos e das três temporadas — seis Emmy e um Globo de Ouro. Porém, isso não foi suficiente para evitar que “Arrested Development” fosse cancelada pela Fox em 2006. Mas em 2013 a Netflix comprou os direitos de maneira a conseguir produzir uma quarta e quinta temporada, tendo esta última estreado a 29 de maio.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]