Entre os anos de 2003 e 2006, as segundas-feiras à noite na SIC tinham muito mais piada — e tudo se deveu ao “Levanta-te e Ri”, um programa de stand-up comedy bem fiel ao género norte-americano. Ao longo dos três anos de exibição, foram gravados 120 programas e muitos foram os humoristas que deram os seus primeiros passos neste palco. É impossível esquecer Fernando Rocha e Aldo Lima, mas talvez muitos não se recordem que foi aqui que Bruno Nogueira e Ricardo Araújo Pereira se tornaram conhecidos do grande público.

Conduzido por Marco Horácio, o “Levanta-te e Ri” é um dos programas que mais marcaram a comédia portuguesa e até mesmo a forma como se fazia humor em televisivo, sendo o seu cancelamento lamentado por grande parte do público (e muitos humoristas). Mas se faz parte das pessoas que o recordam com saudade, temos boas notícias.

Para comemorar os 15 anos de estreia do programa, a SIC vai realizar um especial “Levanta-te e Ri” no próximo dia 7 de outubro. O primeiro a avançar com a notícia foi Daniel Oliveira, diretor-geral de Entretenimento do grupo Impresa, em declarações sobre as novidades do canal de Carnaxide para a próxima temporada: “É um projeto simbólico para nós”,  afirmou Daniel Oliveira ao jornal “Público”.

Culto. As 7 séries de televisão que foram canceladas mas que gostávamos (muito) que voltassem

À MAGG, fontes oficiais da SIC também confirmaram o regresso do programa em outubro, avançando, para já, que o mesmo será feito em direto no Coliseu dos Recreios, apresentado por Marco Horácio e que o cartaz será constituído pelos humoristas Nilton, Fernando Rocha, Aldo Lima, Francisco Menezes e João Seabra.

E enquanto se prepara para o regresso de um dos programas que mais marcaram a televisão nos anos 2000, recorde 13 momentos inesquecíveis de muitos dos humoristas que pisaram o palco do “Levanta-te e Ri”.

Ricardo Araújo Pereira e o truque do pão

Hoje em dia, é difícil imaginar um cenário onde Ricardo Araújo Pereira pise um palco e não arranque efusivos aplausos da plateia — mas nem sempre foi assim. No início dos anos 2000, o humorista ainda não tinha muito cuidado com a imagem, apresentava-se com calças e sweatshirts largas e até brincava com o facto de o também humorista Nilton causar muito mais agitação do público do que ele, um ilustre desconhecido.

Mas tudo começaria a mudar com as suas participações no “Levanta-te e Ri”. Apesar do projeto “Gato Fedorento” já estar no YouTube, Ricardo Araújo Pereira tornar-se-ia conhecido com os hilariantes textos no programa de “stand-up comedy”, tendo sempre uma tendência para brincar com a religião católica. Um desses momentos é a atuação em que RAP questiona os fracos poderes que Deus ofereceu a Jesus Cristo, não entendendo a viabilidade da multiplicação de pães contra as armas dos romanos, momento esse que qualquer fã de Ricardo Araújo Pereira recorda até ao dia de hoje. E o resto é história.

Bruno Nogueira e o senhor do bolo

Também Bruno Nogueira se tornaria mais conhecido com as suas participações no programa de segunda-feira à noite da SIC, embora em 2003 já fizesse parte do rede de televisão de Carnaxide, com a condução do “Curto-Circuito” na SIC Radical. Bruno Nogueira, que regressa à antena da TSF com o programa “Tubo de Ensaio”, e estreia uma rubrica nas manhãs da Rádio Comercial em setembro de 2018, era um jovem de 21 anos quando fez parte do grupo de humoristas convidados para uma edição especial do “Levanta-te e Ri” para comemorar os 11 anos da SIC. E nem a tenra idade o fez abrandar, protagonizando um dos momentos mais engraçados do programa e do canal, referindo-se a Francisco Pinto Balsemão (na época, CEO da SIC) como o “senhor do bolo” e gozando abertamente com o pequeno cachê que lhe pagaram nessa noite.

Herman José e a abertura dos 11 anos da SIC

https://www.youtube.com/watch?v=9ROgGldjVUA

Apesar de nunca ter feito parte do programa, tal não impediu que Herman José participasse na edição especial do “Levanta-te e Ri”. O nome mais ligado ao humor nacional abriu o programa gravado no Coliseu dos Recreios e fez-se acompanhar da sua guitarra, que ajudou Herman a entoar algumas músicas, entre elas o popular êxito do humorista, “Canção do Beijinho”.

Aldo Lima e o “touro lindo”

Quem acompanhou as dezenas de participações de Aldo Lima nos 120 programas de “Levanta-te e Ri” certamente concorda que o humorista era o rei do humor físico. Um dos sketches recorrentes era a sua interpretação de um forcado bem português, com a mítica frase “ehhh touro lindo!”.

Fernando Rocha, Marco Horácio e a “Primeira Dama de Companhia”

Durante os três anos de exibição do “Levanta-te e Ri”, existiram (quase) sempre duas constantes: Marco Horácio apresentava, Fernando Rocha fechava o programa. Neste vídeo, o apresentador e o humorista fazem uma sátira ao reality-show da TVI “1ªCompanhia”, representando personagens com muitas semelhanças com dois dos concorrentes do programa da estação de Queluz de Baixo — Marco Horácio inspirava-se nos trejeitos de José Castelo Branco, Fernando Rocha claramente assumia a postura muito masculina de Alexandre Frota.

Francisco Menezes e a cover de Phil Collins

Francisco Menezes sempre fez questão de incluir música, covers de canções famosas e até imitações de várias personalidades da música nas suas atuações de stand-up — e até chegou a imitar Britney Spears quase na perfeição. No derradeiro programa do “Levanta-te e Ri”, Francisco Menezes puxou de todo o seu poder de voz e fez uma adaptação bastante peculiar da música “Against All Odds (Take a Look at Me Now)”.

Nilton e os emigrantes

Pode não ter participado em todos os programas, mas foi um dos humoristas com maior presença no “Levanta-te e Ri”: Nilton viveu um período de grande sucesso nos palcos do programa de comédia e irá regressar para o especial de dia 7 de outubro. Neste excerto de vídeo, satiriza os sotaques dos emigrantes e até critica George W. Bush, na época presidente dos Estados Unidos da América.

José Diogo Quintela e o americano

Ricardo Araújo Pereira não foi o único membro dos “Gato Fedorento” a participar nas noites de comédia da SIC. Com o tema do futebol em voga devido à aproximação do Euro 2004 (que se realizou no nosso País), José Diogo Quintela apresentou um texto onde os portugueses eram sempre derrotados pelos americanos em eventos desportivos. O contra-ataque do humorista não é para os mais sensíveis, dado que José Diogo usou o atentado terrorista do 11 de Setembro como “punch-line”.

João Seabra e o sovina do Dia dos Namorados

Natural de Braga, João Seabra participou em 44 programas do “Levanta-te e Ri”. Num deles, e entre outros temas, abordou o pavor dos homens com a data do São Valentim e a pouca imaginação que os elementos do sexo masculino têm para presentes. E não é à toa que dizemos que a imaginação é pouca — neste texto, João Seabra refere-se aos que compram apenas fita de embrulho e a enrolam à volta do corpo.

Serafim e o sotaque alentejano

Não querendo ferir suscetibilidades, o sotaque alentejano de Serafim era tão cerrado que, por vezes, chegava a ser complicado perceber o que dizia. Por outro lado, era exatamente essa maneira tão característica de falar que fazia metade da atuação do jovem humorista, que participou em vários programas do “Levanta-te e Ri” e arrancava gargalhadas com os relatos das suas peripécias do dia a dia.

João Didelet e a odisseia da compra de preservativos

Pode ser estranho ver o eterno tio de “Super Pai” falar de sexo e assumir um discurso mais arrojado, mas foi exatamente isso que aconteceu durante as (poucas) participações de João Didelet no programa da SIC. No entanto, o texto em que o ator descreve uma ida a farmácia para comprar preservativos ainda é recordado por muitos fãs do “Levanta-te e Ri”.

Óscar Branco e o pijama

Hoje em dia, em que o tema da igualdade de género está muito presente na nossa sociedade, as piadas utilizadas por Óscar Branco talvez não fossem tão bem aceites. Com um sentido de humor característico, o ator cómico, que subiu várias vezes ao palco do “Levanta-te e Ri”, não resistia a brincar com o sexo feminino e com as dinâmicas dos relacionamentos, chegando a dizer (durante uma atuação) que um casamento era feito de direitos e deveres: os homens com os direitos, as mulheres com os deveres.

Fernando Rocha e os palavrões

Fernando Rocha é, provavelmente, o nome mais ligado ao “Levanta-te e Ri”. Fechava todos os programas e dividia opiniões: enquanto uns resistiam ao sono de segunda-feira para ver o nortenho atuar, outros desligavam a televisão ainda antes de Marco Horácio anunciar a entrada em palco do humorista. Sem qualquer pudor, não havia texto de Fernando Rocha sem dezenas de palavrões, mas é um facto que as atuações do humorista são das mais lembradas até hoje. E com tantas, é quase impossível destacar um momento mais marcante que os outros, mas o texto em que Fernando Rocha ofende intensamente um agente da polícia merece ser recordado.