Depois de uma primeira temporada intensa, com restaurantes com baratas na cozinha, comida podre, patrões e empregados incompetentes, chefs desastrados e muitos gritos, Ljubomir Stanisic está de volta ao “Pesadelo na Cozinha”. O chef do 100 Maneiras regressou à TVI este domingo, 9 de setembro, para tentar ajudar o restaurante Ribamariscos, gerido por José Augusto e a mulher, Palmira. O programa mostrou um Stanisic em grande forma, que se fartou de dizer palavrões, rebolou pelo chão, chamou nomes aos patrões e empregados, tudo à sua maneira. A MAGG viu o primeiro episódio com atenção e conta-lhe em detalhe tudo o que se passou.

Situado na localidade de Ribamar, mais precisamente em Santo Isidoro, a quatro quilómetros da Ericeira, o espaço abriu em 2011 mas deixou de dar lucro. O facto de os dois sócios anteriores terem alegadamente “metido a mão na carteira dos clientes”, nas palavras de José Augusto, não ajudou, mas é evidente que há mais problemas no espaço.

“Pesadelo na Cozinha”. As piores críticas ao Ribamariscos, o primeiro restaurante do programa da TVI

Na Zomato, TripAdvisor e críticas da Google, há queixas de serviço lento, má educação e suspeitas quanto à frescura do marisco. As críticas dos clientes não foram muito diferentes dos problemas identificados por Ljubomir Stanisic. Em 1h25 minutos de programa, vimos o chef a discutir com os empregados, a descobrir ostras com duas semanas e a exigir que José Augusto se imponha perante os seus funcionários.

O pior do restaurante

José Augusto, o proprietário, não consegue impor respeito. Incapaz de dar ordens, tem postura de empregado em vez de chefe. Há falta de comunicação entre a cozinha e os empregados, o armazém está desorganizado e a esplanada é pouco funcional. Na cozinha recorre-se também a latas de conserva em vez de produtos frescos.

O melhor do restaurante

Apesar de tudo, o espaço está cheio — é o próprio chef a perguntar a Joaquim porque é que a sua ajuda é necessária quando as salas estão a abarrotar de clientes.

De quem é que gostámos mais

Benjamim é obediente e muito querido com todos

Benjamim conquistou o nosso coração logo no início do programa quando disse para as câmaras: “Agradeço que o ajudem porque é um rapaz muito [emociona-se], muito querido.” Com a voz aguda e já em lágrimas, continua: “Eu gosto muito dele. Não tenho palavras. Sou sincero, olhe, isto é do coração. Por isso é que eu estou aqui, eu praticamente não ganho nada, está a perceber? Estou aqui para o ajudar”.

Estávamos no décimo minuto do episódio, e já tínhamos escolhido o nosso favorito. Ao longo do programa Benjamim não nos desiludiu: sempre com paciência e respeito, é o empregado que acata melhor as ordens, além de protagonizar alguns dos momentos mais engraçados.

De quem é que gostámos menos

Joaquim levou um raspanete do chef, mas no final Ljubomir Stanisic elogiou o seu profissionalismo

Joaquim não apareceu tanto neste episódio como os restantes empregados, Carla e Benjamin, mas é óbvio que tem um problema de atitude. Esse é, aliás, um dos primeiros problemas identificados pelo chef Stanisic: afinal quem é que manda aqui? Joaquim parece agir como se fosse o dono do Ribamariscos. Muito mais do que José Augusto.

Também não gostámos particularmente da forma como tratou Benjamim quando Ljubomir Stanisic, depois de pedir uma sugestão a um casal de clientes habituais, lhe pediu que mandasse vir um bocadinho de arroz de polvo. Quando viu Benjamim ao lado do chef, veio em passo acelerado e despachou-o. “Com licença, senhor Benjamim, com licença”, disse. Até Stanisic reparou: “Que maneira bonita de o despedir. ‘Baza daqui. Ui, ui [risos]”.

O prato da polémica

A vieira não tinha vieira

Elegemos a vieira. Começou logo mal: o chef Stanisic ficou surpreendido pelo facto de as vieiras custarem apenas 7€, quando um quilo de vieiras custa cerca de 50€. “Temos de provar isto”, diz o chef. “Sítio único no mundo a ter vieiras neste valor”. Stanisic chama Joaquim e faz o pedido. Só que o empregado de mesa volta logo a seguir: “Vieiras não temos feitas.” “Não têm feitas… mas podem fazer”, responde o chef. “Vou perguntar na cozinha”.

Quando o prato chega à mesa, percebe-se imediatamente porque é que a vieira só custa 7€ — não há vieira nenhuma. “Se chamassem a isto camarão gratinado em casca de vieira… era top. Não há vieira”, diz Stanisic. Mais tarde, Palmira e o marido, José Augusto, falam com dois clientes que lhes contam o que é que o chef disse. “Depois estava a dizer que a vieira não tinha vieira”, conta. “Pois não, por isso é que é à casa”, explicou a proprietária.

Temos de fazer ainda uma menção honrosa ao casco de sapateira. Além de não saber praticamente a sapateira — na opinião do chef estava cheio de pão torrado, clara de ovo e “maionese à fartazana” —, cheirava a detergente. “Há qualquer coisa na mesa que tem cheiro a Sonasol ou a lixívia”, diz o chef. “Eu suponho que seja do casco de sapateira.” Medo.

O momento mais WTF

Não temos dúvidas: o momento em que o chef Stanisic lambe uma sapateira congelada, um pão e o papel de gelado. Depois de encontrar estes três produtos numa arca frigorífica dentro do armazém, diz: “Não sei qual gelado é que me apetece mais. Este [primeira lambidela], este [segunda lambidela] ou este [terceira lambidela]”.

O momento mais violento

A campainha amarela, tocada sempre que um prato está pronto, foi fortemente agredida pelo chef Stanisic. Depois de uma discussão com Carla, acaba pontapeada.

O momento mais fofinho

Sem dúvida quando José Augusto e a Palmira conversam sobre o que vai acontecer dali para a frente. Depois de uma reprimenda do chef, ele diz à mulher: “Tens de me perdoar por todo o mal que te fiz e ajudar-me a andar para a frente.” “Tu sabes que eu te ajudei sempre”, responde Palmira. É caso para dizer: ohhhhhhhhh.

O que falha na higiene do restaurante

Na montra há peixe a cheirar a podre, mas o pior são mesmo as ostras embaladas há duas semanas. Até Carla leva a mão à boca. O chef criticou também a confeção da comida em tachos velhos.

Quem disse mais palavrões?

Ljubomir Stanisic disse sete palavrões. Logo a seguir veio Joaquim com quatro e, por último, Benjamim, com apenas um.

As frases mais engraçadas

  • “Eu gostava que eles começassem todos a trabalhar com as tabletes [tablets], mas não consigo” (José Augusto)
  • “Nunca tive nenhum complaint. Complaint é uma reclamação” (Benjamim)
  • “Tem de os agarrar pelos tomates. É só apertar um bocadinho, digo-lhe eu. Aos poucos, tudo funciona” (Ljubomir Stanisic)
  • “Eu já tive contacto com fichas técnicas. Li-as mas nunca fiz caso” (José Augusto)
  • “Tem ali o X-cake” (Palmira)
  • “O que é que o seu marido fez antes de o serviço começar? Foi cagar ou veio para a sala dizer o que é que tem de se vender?” (Ljubomir Stanisic)

A frase do episódio

  • “Só porque é preto acha que é escravo?” (Ljubomir Stanisic)

O antes e depois

O restaurante mudou completamente a sua aparência. Veja as imagens da transformação.

12 fotos