Em Florença já é proibido comer nas ruas (e a culpa é dos turistas)

Segundo o presidente da câmara, a medida não é um castigo, mas sim um impedimento com um propósito concreto: o de acabar com o lixo na rua.

A medida entrou em vigor a 4 de setembro

Em Florença, os impactos do turismo têm-se feito sentir da pior maneira – as ruas estão cada vez mais cheias, e têm cada vez mais lixo. Por isso mesmo, desde 4 de setembro é proibido “acampar” (para comer) nas ruas da cidade italiana.

A medida aprovada pelo presidente da câmara vigora (pelo menos) até 6 de janeiro, e até lá, quem for apanhado a comer na calçada, ou à porta dos estabelecimentos do centro histórico da cidade, arrisca-se a ter de pagar uma multa que pode ir dos 150 aos 500 euros.

A proibição vigora em dois períodos do dia (entre as 12 e as 15 horas e entre as 18 e as 22 horas) e só no centro histórico, nas ruas mais próximas das galerias Uffizi e do palácio Vecchio, como é o caso da Via de’ Neri.

É lá que se encontram dois dos spots mais populares da cidade – o All’ Antico Vinaio e a Gelateria dei Neri – e nenhum dos dois tem lugares sentados suficientes para a quantidade de turistas que recebe diariamente. Por isso, há muita gente que acaba a comer na rua – é aí que entra a nova medida, “contra os que comem e acampam na rua e nas calçadas da Via de’ Neri, no coração de Florença, património da Unesco”, conforme se pode ler no comunicado que Dario Nardella, o presidente da câmara, fez na sua página de Facebook.

È importante e giusto che tante persone possano vivere e ammirare la nostra città, ma a condizione che la rispettino….

Posted by Dario Nardella on Monday, September 3, 2018

No mesmo comunicado, explicou que a medida não é um castigo, mas apenas um impedimento concreto, com um propósito: o de acabar com o lixo na rua. Mas a preocupação com o impacto negativo do turismo não é de agora. Em 2017, a câmara chegou a instalar mangueiras junto de alguns dos sítios mais emblemáticos da cidade, para que os pavimentos fossem regularmente lavados (e molhados) e ninguém lá parasse para comer. 

Em relação à nova medida, deverá ser afixado um aviso à porta dos estabelecimentos nas ruas abrangidas (em italiano e em inglês) para que ninguém seja apanhado de surpresa. Segundo o “The Telegraph”, o dono do All’ Antico Vinaio terá dito ao jornal “La Repubblica” que essa não vai ser a única ajuda para os turistas. “Vamos distribuir mapas aos nossos clientes para que saibam onde podem comer sem apanhar uma multa.”

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]