Fui comer ao Marisco na Praça e amei (mas eu sou doida por marisco)

Toda a experiência foi maravilhosa. Até pude escolher, diretamente da banca, peixe e marisco fresco.

Marta Romão e Miguel Caetano abriram há 4 anos o primeiro “Marisco na Praça”, no mercado de Cascais. O nome diz tudo: uma marisqueira, com muito bom gosto, e com peixe e marisco muito fresco. Deram início a este projeto porque perceberam que existia uma falha no mercado. Cascais precisava de uma marisqueira descontraída, disponível a qualquer hora do dia, onde pudéssemos lá ir depois de um mergulho na praia, mas também pudesse ser um ponto de encontro para um jantar romântico.

Graças a este sucesso, decidiram dar vida a mais um “Marisco na Praça”. O restaurante do mercado estava a funcionar muito bem, mas faltava um vista mais bonita. Até que surgiu a oportunidade de abrirem na Marina Cascais, onde o ambiente envolvente fala por si.

Faz um ano em Julho que esta nova marisqueira está aberta, com um conceito semelhante ao original, mas com novidades: pratos de fusão, com características peruanas, com base em peixe fresco. Gostei especialmente do tártaro de atum.

Na verdade, eu já era cliente habitual do “Marisco na Praça” do mercado de Cascais, ia lá muitas vezes com a minha mãe. E desta vez fui com os meus colegas da MAGG experimentar este da Marina de Cascais. A base é a mesma — porque são realmente os dois muito bons — mas o restaurante da Marina, apesar de toda a simplicidade, acaba por ser mais elaborado. Gostei imenso e acho um restaurante muito giro para um jantar a dois, para uma festa de aniversário, ou até mesmo para um lanche ajantarado. Na verdade, eu sou obcecada por marisco e a forte aposta que este casal faz na variedade de marisco e de peixe, a um preço acessível, faz com que estes restaurantes estejam em vantagem relativamente às outras marisqueiras.

A carta não é mesma nos dois espaços, há pratos que existem num sítio e que não existem noutro. No mercado, adoro a feijoada de búzios e o caril de gambas, na marina destaco a cataplana de polvo e os filetes de pescada fresca. Mas a sapateira é realmente aquilo que me deixa rendida e que me faz sempre querer voltar, e esta há nos dois restaurantes. É das melhores que já comi.

O conceito destes espaços é mesmo como eu gosto: vejo na banca, escolho o que quero, e quanto quero…tudo à minha medida. Arranjem uma boa companhia, façam uma reserva e digam lá se não está aprovado.

Eu sou fã de restaurantes deste tipo.. Descontraídos, bem decorados, com boa música e sabores diversificados. Por isso, deixo-vos aqui um vídeo que vos vai deixar já com água na boca. Agora, só falta abrir um terceiro espaço no centro de Lisboa. Fica a sugestão.

Texto de Maggie, vídeo de Samuel Costa.
Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]