A Lego acaba de dar um passo em frente para um mundo mais sustentável. Com 84 anos de vida, a empresa dinamarquesa dos famosos brinquedos pretende começar a substituir o plástico das peças por um extrato das plantas provenientes da cana de açúcar.

Os primeiros passos foram dados já este ano com a produção de peças amigas do ambiente tais como folhas, arbustos e árvores. Entre 1 e 17 de agosto, a marca disponibilizou o conjunto “Plants from Plants” gratuitamente em compras superiores a 35€. No entanto, só esteve disponível na loja online e em alguns países como Inglaterra, Alemanha, Áustria, Estados Unidos e Canadá.

Segundo o site oficial da Lego, a novidade ainda não chegou a mais partes do mundo devido ao acesso limitado ao material sustentável. Contudo, o objetivo é trabalhar única e exclusivamente com este materiais até 2025 — desde as caixas até aos plásticos que revestem as peças.

Os novos brinquedos são feitos de polietileno, conseguido através da conversão do etileno da cana de açúcar, o que gera um material suave, resistente e flexível. As peças foram testadas para assegurar a qualidade e a segurança dos brinquedos.

“As crianças e os pais não vão notar diferença na qualidade ou na aparência das peças porque o polietileno à base de plantas tem as mesmas propriedades do polietileno convencional”, afirma Tim Brooks, vice presidente do centro de responsabilidade ambiental da Lego Groups, no site oficial da Lego.

Apesar das novas peças não serem biodegradaveis, mas sim 100% recicláveis, o processo do uso de material sustentável está sob a orientação da parceria com a World Widlife Fund e a Bioplastic Feedstock Alliance (BFA). “Queremos ter um impacto positivo no mundo e estamos a trabalhar arduamente para fazer bons produtos”, acrescenta Brooks.