De repente faltam apenas umas semanas para o grande dia e os nervos começam a aparecer. Ainda nem tudo está tratado, o que me deixa stressada, mas pelo menos o facto de já ter o meu vestido pronto ajuda a conseguir estar mais descansada.

Foi um processo que demorou cerca de quatro meses e que, apesar de todas as minhas dúvidas sobre se seria a melhor decisão mandar fazer um vestido de raiz, ou se devia ter comprado logo um já feito, correu muito melhor do que esperava. E sem dúvida que ter um vestido feito a partir do meu gosto, das minhas inspirações, à minha medida e com as dicas de uma expert como Pureza Mello Breyner, foi a melhor opção.

Para alguém ansioso como eu, nem sempre é fácil estar sempre apenas a imaginar como é que ele vai ficar sem ver o produto final, sem ter a garantia de que vai ficar exatamente como se idealizou. É preciso confiar e acreditar que o vestido está em boas mãos.

O terceiro passo para criar o meu vestido de noiva

Depois dos últimos acertos, de se tirar as medidas para a bainha, nesta última visita ao atelier foi altura das últimas decisões. Experimentei véus e escolhi um — sim, já posso revelar que vou usar véu, só não digo como será — e aproveitei para experimentar também sapatos.

Ver-me com o vestido pronto foi emocionante. Se por um lado fiquei com vontade que o dia 8 de setembro chegasse ainda mais rápido, por outro os nervos fazem com que não queira acreditar que o dia está apenas à distância de umas semanas.

Ainda não é neste vídeo que veem o resultado final. Esse, só depois do casamento.