Instagram. Vai poder controlar o tempo que passa nesta rede social

Grande parte do seu dia é passado a fazer scroll down no feed do Instagram? Então ative este alarme assim que puder.

A ideia surgiu como resposta a críticas de que estas redes sociais tornavam várias pessoas viciadas

Rawpixel / Pexels

Muito provavelmente ainda não parou para pensar quanto tempo passa por dia a deslizar o dedo pelas redes sociais. Antes de dormir e quando acorda passa por lá, a caminho e no regresso do trabalho também (e no trabalho provavelmente também). Passou a ser um gesto natural, que faz agora parte do dia-a-dia das pessoas mais digitais. Mas e se lhe dissessem que esse tempo, em excesso, pode interferir com a sua saúde mental?

Foi exatamente essa a questão que levou o Instagram a tomar medidas que o Facebook  já tinha igualmente anunciado. Ou seja, criar ferramentas nas plataformas que permitam ao utilizador saber quanto tempo já passou nessa rede social ao longo do dia e que os ajudem a controlar esse mesmo tempo.

Como? Através de um sistema de alertas. O utilizador pode definir o tempo que considera excessivo para passar nessa rede social e agendar um alerta para informá-lo de que chegou a altura de pousar o telemóvel.

O desenvolvimento desta ideia tem vindo a ser feito em colaboração com organizações e experts na área da saúde mental, com o objetivo de tornar a experiência de um utilizador de Instagram mais inspiradora e positiva, deixando-lhe tempo para continuar a ter uma vida real, fora do digital.

Para saber quanto tempo está a “perder” nesta plataforma, deverá ir a “Definições” e depois a “A Tua Atividade”. Aí poderá ver quanto tempo já passou a fazer scroll down nesse dia e, se for um daqueles que não passa uns minutos sem ir espreitar um feed, o melhor será ativar um alarme. Estas ferramentas estarão disponíveis em breve.

Enquanto espera por estas novas funcionalidades, pode já usar um bom truque para abrir menos vezes o Instagram: desligue as notificações push.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]