A Netflix pode ficar mais cara na Europa

Depois de um ligeiro aumento de preços em 2017, a Netflix está a testar um novo plano que é 20% mais caro do que o plano Premium atual.

O novo plano vai substituir o serviço Premium que custa 13,99€ por mês

Netflix

Não há outra forma de dizer isto: depois de um aumento de preços em 2017, é provável que a Netflix vá ficar outra vez mais cara. O novo plano está ainda em fase de testes mas, a confirmar-se, será 20% mais caro do que o serviço Premium atual que custa 13,99€ mensais.

O novo plano chama-se Ultra e, segundo a revista “Variety”, será o mais caro de sempre se a empresa norte-americana decidir avançar com a ideia. Ao permitir a visualização de conteúdo em qualidade Ultra HD, HDR (High-Dynamic Range) e 4K, este novo plano vai substituir o Premium que está atualmente em vigor.

Isto significa que, caso o novo serviço seja implementado, os utilizadores que agora subscrevem a versão Premium vão perder a possibilidade de ter quatro equipamentos a usar a mesma conta de Netflix em equipamentos diferentes. Além disso, também não vão poder ver filmes e séries em qualidade HDR.

O pior de tudo é que este novo plano é o mais caro de sempre praticado pela empresa norte-americana, já que pode vir a custar entre 16,99€ a 19,99€. Segundo a mesma publicação, foram vários os utilizadores alemães que no site oficial do seu país viram estes dois preços para o mesmo serviço.

Segundo explicou a Netflix à “USA Today”, este é apenas um teste que “tem como objetivo entender as preferências dos consumidores e perceber quanto estão dispostos a pagar pelo serviço”, garantindo que este aumento pode nunca vir a acontecer.

Atualmente, há três pacotes disponíveis de subscrição: o mais barato custa 7,99€, o Standard fica por 10,99€ enquanto que o Premium tem o valor de 13,99€ por mês.

A plataforma chegou a Portugal em 2015 e esta pode ser a segunda vez que a Netflix faz aquilo que chama de “pequenos ajustes” ao serviço, depois de um ligeiro aumento de preços em 2017.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]