Ruth Manus. "Ai, quem não foi traída, não é?"

Adora Portugal, odeia o ranço de superioridade. Ama os portugueses, lamenta que não abracem. Entrevista à cronista brasileira de sucesso.

Por Dulce Neto