A Fair Bazaar foge à norma, até na forma como se apresenta ao público. Ao contrário da maioria, começou por uma loja física, para só agora se lançar num site. “Não era para ser assim, mas quando começámos a pensar em tornar a marca real, surgiu este espaço na Embaixada do Príncipe Real e não hesitámos”, conta à MAGG Joana Cunha, ao lembrar a abertura da loja em Lisboa, que aconteceu no final do ano passado. Mas é agora que esta loja que promove um estilo de vida consciente e ecológico se lança ao mundo, através de uma plataforma online, disponível para entregas em toda a Europa.

6 fotos

São mais de 30 marcas nacionais e internacionais de moda e lifestyle sustentáveis, número que Joana quer fazer subir para 50 até ao final do ano. “O verdadeiro trabalho começa agora”, comenta a fundadora da loja, que decidiu mudar de vida depois de ter visto o documentário “The True Cost”, que analisa a o lado menos glamoroso — e mais explorador — da indústria da moda. Começou por procurar alternativas à produção em massa, até que percebeu que existem cada vez mais pessoas com as mesmas preocupações. “Porque não juntar tudo numa só loja e facilitar esse trabalho?”. E assim nasceu a Fair Bazaar, um marketplace que junta marcas sustentáveis de moda, casa e beleza.

Por aqui os produtos são todos de alta qualidade e design, de tal forma que cada fornecedor é avaliado através de uma entrevista onde são analisados critérios como o tipo de matérias-primas, modo de produção e condições de trabalho.

Roupa de desporto vegana e sustentável? Já existe e é portuguesa

A loja vai manter-se aberta, mas o foco agora está virado para o site, feito em inglês a pensar num público mais internacional, onde estão reunidas marcas que contribuam para o comércio ético e justo. “A ideia é que o site seja uma evolução do projeto”, explica Joana, com esperança de que seja criada uma espécie de comunidade global de change-makers. É por isso que, além de roupa e acessórios, o site tem também conteúdos educativos para um consumo mais responsável e entrevistas aos produtores.

Cinco restaurantes onde o cozinhar não queima o meio ambiente

Ao navegar pelo site descobrimos produtos que vão desde escovas de dentes feitas em bambu para crianças, colheres de pau criadas por artesãos do Algarve, biquinis biodegradáveis e camisas para homem vendidas a um preço justo para quem as produziu. Mas seja qual for o produto escolhido, saiba que para estarem à venda na Fair Bazaar têm que respeitar pelo menos dois destes selos: vegan, ecológico, comércio justo, artesanal, reciclado, orgânico, desperdício zero e feito em pequena escala.