Não há coração que aguente. O filme dos super-heróis mais engraçados de sempre vai mesmo regressar e tem estreia marcada já para esta quinta-feira, 28 de junho, nos cinemas portugueses. “The Incredibles – Os Super Heróis” estreou há mais de 13 anos e foi um sucesso de bilheteiras entre miúdos e adultos.

O filme conta a história de uma família de super-heróis que vive com identidades falsas na tentativa de levar uma vida calma e sem confusões. Tudo muda, porém, quando um grupo de vilões ameaça o mundo e obriga as personagens principais a vestir os fatos especiais para os tentar combater.

Apesar do sucesso, pouco se sabia acerca de uma possível continuação da história até ao ano passado, numa altura em que decorria a apresentação da Disney, na Califórnia. A notícia foi dada pelo realizador do primeiro filme, Brad Bird (“Ratatui”), perante uma multidão de mais de sete mil pessoas.

O realizador norte-americano, o mesmo que realizou o primeiro filme, anunciou que a nova história se vai centrar na Mulher Elástica e não no pai, que tem de ficar em casa a tomar conta do novo bebé da família enquanto a mãe parte em busca de novas aventuras.

Como quem sai aos seus não degenera, o bebé — chamado Jack Jack —, também vai ter poderes especiais que vai descobrindo aos poucos.

Para se preparar para a sessão de família no cinema, isto é tudo o que pode esperar do novo filme “The Incredibles 2 — Os Super-Heróis” que tem sido recebido com críticas muito positivas nos EUA.

O bebé Jack Jack não tem um só poder especial, mas vários

É no final do primeiro filme que se descobre que o bebé da família tem vários poderes especiais, como a capacidade de poder mudar de forma ou até transformar-se em fogo. Ainda assim, o clipe partilhado na conferência da Pixar mostra que as habilidades do miúdo não se ficam por aqui.

Além do que já se sabia que conseguia fazer, Jack Jack tem pele elástica (como a mãe), consegue disparar lasers pelos olhos, atravessar paredes sem qualquer esforço e ainda multiplicar-se por vários.

Vão aparecer mais heróis

Apesar de as personagens principais estarem todas confirmadas para este novo filme (e todas elas com as mesmas vozes), o realizador norte-americano revelou ainda que vão chegar novos heróis com “poderes surpreendentes capazes de rivalizar com os Incríveis”.

Uma das novas personagens chama-se Voyd, e conta com a voz da atriz Sophia Bush. Segundo Bird, “Voyd é uma mulher com habilidades especiais, como a possibilidade de criar buracos negros — fazendo jus ao nome.”

Depois de “Dumbo”, estas são as próximas adaptações da Disney para o cinema

A introdução de novos super heróis pode querer dizer que a censura aos seres especiais, imposta antes dos acontecimentos do primeiro filme, pode vir a ser eliminada no segundo filme.

A história vai continuar logo a seguir ao primeiro filme

Ainda que tenha passado mais de uma década desde o lançamento de “The Incredibles — Os Super Heróis”, os acontecimentos do segundo filme vão passar-se exatamente a seguir aos do primeiro. Mais especificamente, 45 segundos depois de a família Parr vestir os fatos especiais para lutar contra um novo vilão que ameaça a cidade.

Assim, é provável que o novo filme comece com uma cena de ação que mostre todas as personagens a lutar entre si, numa mistura de poderes especiais e animações novas e cada vez mais fluídas.

A Mulher Elástica vai ser a personagem com mais destaque

Helen Parr é o nome da Mulher Elástica mais engraçada e eficiente do cinema. Neste novo filme, é ela quem terá maior destaque. Esta é uma decisão que surge numa altura em que são vários os filmes, as séries e até os livros de banda desenhada que dão protagonismo às personagens femininas.

O segundo filme de “The Incredibles” parece querer seguir essa tendência ao reforçar uma personagem que todos já sabíamos que era forte e capaz de se defender sozinha.

Neste novo filme, porém, é ela quem estará encarregue de salvar o mundo, proteger a família e descobrir-se a si mesma. Tudo isto enquanto Bob, o marido, está em casa a cuidar do bebé Jack Jack.

Está a chegar o filme de terror que levou crianças e pais a fugirem do cinema em pânico

Vai haver uma espécie de mini reunião de atores de “Breaking Bad”

Rick Dicker apareceu no primeiro filme e era a personagem responsável por fazer a ponte de comunicação entre o governo e a família Parr.

A voz do boneco animado era de Bud Luckey (“Toy Story 3”) que, neste novo filme, foi substituído por um outro ator muito conhecido dos amantes de séries — Jonathan Banks (“Mudbound — As Lamas do Mississípi”), conhecido pelo seu papel de Mike Ehrmantraut em “Breaking Bad”, a série da AMC.

Mas há mais: com ele vem também Bob Odenkirk (“Nebraska”) que na mesma série deu vida à personagem de Saul Goodman, um advogado sem escrúpulos que servia como porto seguro para os criminosos e que conta agora com uma série própria chamada “Better Call Saul”, onde a história é passada antes dos acontecimentos principais de “Breaking Bad”.

As animações vão ser muito melhores

Não é surpreendente que, 13 anos depois do primeiro filme, as animações deste novo sejam muito mais avançadas, fluídas e repletas de realismo. A tecnologia avançou imenso nos últimos anos e isso permitiu, por exemplo, expressões faciais muito mais realistas com o objetivo de representar vários estados de espírito.

Na conferência da Disney que serviu para apresentar o filme aos fãs na Califórnia, o realizador disse que é como “se tivesse um carro melhor para conduzir”, o que permitiu que conseguissem fazer mais e melhor nos estúdios.