15 curiosidades sobre a “A Guerra dos Tronos”. Sabe que havia uma cabeça cortada semelhante à de George W. Bush?

Há uma paródia pornográfica e o coração de cavalo comido por Daenerys era de geleia sólida. Mas há mais detalhes desconhecidos da série.

A língua Dothraki falada na série não existe e foi criada por uma empresa especializada em línguas imaginárias

HBO

Está tudo a pensar no mesmo e os fãs de “A Guerra dos Tronos” não descansam enquanto não souberem quando estreia a nova, e última temporada, da série da HBO. Mas enquanto a estação norte-americana não anuncia a data de regresso, tudo serve para falar de uma das produções mais importantes de ficção científica — desde as várias teorias para o final da história, à tatuagem de Sophie Turner (“Josie”), uma das atrizes principais, até às curiosidades que existem em redor do processo de filmagens.

Sabia, por exemplo, que aquele coração gigante de cavalo que Daenerys (Emilia Clarke) teve de comer na primeira temporada foi feito com quase dois quilos de geleia? Em entrevista à revista “Vulture”, a atriz diz que vomitou imensas vezes durante a gravação da cena, e que nem foi preciso ter de representar.

“O facto de me terem dado uma coisa tão nojenta para comer fez com que não tivesse de me preocupar com a representação que tinha de fazer. Fizeram o coração com geleia sólida e disseram-me que ia saber a pastilha elástica, mas a verdade é que sabia a lixívia e massa crua. Comi cerca de 28 corações durante o dia e vomitei imensas vezes durante a cena.”

Mas são várias as curiosidades que provavelmente não conhecia acerca de “A Guerra dos Tronos”. A MAGG reuniu todas aquelas que tem mesmo de ficar a saber, das mais engraçadas às mais insólitas e curiosas.

A cena mais cruel

O ator dinamarquês, Nikolaj Coster-Waldau, que interpreta a personagem Jamie Lannister na série da HBO, revelou recentemente à Variety que houve uma cena da quinta temporada demasiado cruel para ele: aquela em que Stannis Baratheon (Stephen Dillane) deixa Melisandre (Carice van Houten) queimar a sua filha viva. Considera-a excessiva: “Fez sentido na história e percebo porque o fizeram, mas eu simplesmente não consegui ver. Até ler a cena foi difícil.”

Acrescentou ainda, rindo-se, que a cena de Lysa Arryn (Kate Dickie) a amamentar o seu filho Robin (Lino Facioli), de 10 anos, foi “estranha e errada”.

As cenas chocantes são sem dúvida uma forte característica da série que une sete reinos na terra mítica de Westeros. Entre as mais inesquecíveis estão aquelas em que Ramsay Bolton (Iwan Rheon) tortura Theon Greyjoy (Alfie Owen-Allen), ou quando Gregor Clegane (Hafþór Júlíus Björnsson), também conhecido por “The Mountain”, mata Oberyn Martell (Pedro Pascal) – esmagando-lhe os olhos com os dedos – e ainda o momento em que Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) come o coração de um cavalo.

J.R.F.

— O nome “Khaleesi”, atribuído à mulher do chefe da tribo Dotrahki e usado por Daenerys na primeira temporada, foi dado a mais de 150 bebés em todo o mundo, em 2012.

—  A HBO contratou uma empresa especializada na criação de línguas imaginárias para criar o idioma Dothraki que se ouve ao longo de todos os episódios. a língua inventada especificamente para a série tem mais de três mil palavras.

— Sophe Turner adotou o cão que, na série, foi o seu lobo fiel durante a primeira temporada.

Harry Lloyd (“A Dama de Ferro”), o ator que na primeira temporada fez de Viserys, o irmão de Daenerys, é tetraneto de Charles Dickens, o escritor britânico conhecido por livros como “Grandes Esperanças” e “Tempos Difíceis”.

— O Trono de Ferro da série levou dois meses a ser feito. Com quase dois metros e meio de altura, são necessários cerca de quatro membros da equipa de rodagem para transportá-lo pelo cenário.

— Há uma paródia pornográfica chamada “Game of Bones” que mostra uma nova versão do Trono de Ferro, construída inteiramente com brinquedos sexuais.

— A atriz Sibel Kekilli (“A Estrangeira”), que interpreta Shae e que fez par romântico com Tyrion (Peter Dinklage) já foi atriz pornográfica.

— Numa das cenas da primeira temporada da série, houve uma cabeça cortada que se assemelhava à de George W. Bush, o antigo presidente dos EUA. A HBO pediu desculpa pelo sucedido e editou a cena em futuras exibições do episódio para que a cabeça não fosse reconhecível.

— Até agora houve mais de 150 mil mortes em toda a série, desde personagens mais importantes a menos significativas, nos mais diversos confrontos.

— O ator Peter Vaughan (“Morte Num Funeral”), que interpretou o mestre Aemon Targaryen na série é, tal como na série, invisual.

— George R.R. Martin, o criador da saga, revelou o final pretendido aos criadores da série por ter medo de não sobreviver até à à última temporada, com final marcado para 2019.

— No pitch para comprar os direitos da saga a George R.R. Martin, David Benioff (“A Última Hora”) e D.B. Weiss (“Nunca Chove em Filadélfia”), os criadores da série, conseguiram convencer o escritor ao responderem à pergunta “Quem é a mãe de Jon Snow?”

— “A Guerra dos Tronos” foi uma das séries mais pirateadas de sempre na história da televisão.

— Os criadores da série introduziram cenas chocantes de violação que não constavam nos livros originais, e George R.R. Martin concordou com a decisão por ilustrar a “crueldade do tempo retratado na série”.

— Os lobos gigantes existiram mesmo e eram mesmo grandes. Contudo, são uma espécie extinta há milhares de anos.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. fabiomartin[email protected]