Canto Redondo. Este é o novo restaurante na Casa da Calçada (e fomos os primeiros a conhecê-lo)

A partir de segunda-feira, mesmo ao lado do restaurante com estrela Michelin começa a servir-se comida de conforto para partilhar.

A carta inspira-se nos produtos regionais e o ambiente é muito mais informal

São quase 21 horas quando nos sentamos numa das mesas do Canto Redondo, o novo restaurante do hotel Casa da Calçada — Relais & Châteaux, em Amarante. Apesar do ambiente requintado do espaço, onde não faltam obras de arte, paredes roxas e poltronas clássicas, quase parece que nos enganámos na sala. Tem uma explicação. Coisas boas da vida de um jornalista: a MAGG foi visitar em primeira mão o Canto Redondo, que abre esta segunda-feira, 18 de junho. Além do espaço, conhecemos também a carta preparada por Tiago Bonito — o chef que, mesmo na sala ao lado, assume o comando da cozinha do Largo do Paço, com estrela Michelin. O espaço resulta da recuperação do antigo bar e tem uma carta que assenta sobretudo na partilha.

O novo restaurante tem 32 lugares

“O segundo espaço de restauração terá um ambiente mais descontraído”, explica à MAGG o chef Tiago Bonito. Enquanto o Largo do Paço é um restaurante de cozinha contemporânea e de assinatura, onde o objetivo é “despertar sentidos” e oferecer uma “experiência sensorial e que crie memórias”, no Canto Redondo a oferta é diferente.

“Será um restaurante mais informal, onde os clientes podem partilhar uma entrada ou um prato com os amigos ou com a família, onde podem trazer crianças. No Largo do Paço isso não acontece. Portanto, temos duas ofertas gastronómicas diferentes: uma mais formal e outra menos formal.”

Tiago Bonito conquistou o título de Chefe Cozinheiro do Ano em 2011, no mesmo concurso em que se distinguiu com o Troféu de Inovação

Uma carta para descobrir os sabores da região

“Quem vai a um restaurante estrela Michelin, vai uma vez; vai ao segundo dia; ao terceiro já não vai.” Com o novo Canto Redondo, já não precisa de sair da Casa da Calçada para encontrar um sítio mais descontraído para comer. “Conseguimos assim que, numa estadia de três dias, as pessoas consigam levar duas experiências diferentes.”

A carta inspira-se nos produtos regionais. “É um produto da zona — estamos a falar de 50 quilómetros para um lado e 50 quilómetros para o outro.” Amarante é conhecida pelos enchidos e fumeiro, por exemplo, mas não é preciso ir muito longe para encontrar bom bacalhau, camarão ou amêijoas.

Bife de novilho à la creme, alho fermentado, batata doce e salsa (24,50€)

“Procurámos aliar duas coisas: o conceito de partilha e a comida de conforto”.

Na ementa há sete opções diferentes de entrada, como o carpaccio bacalhau meia cura, pimentos assados, azeitona e ovo codorniz (10€); camarão frito, pimentos pardos, azeite, alho e coentos (13,50€) ou o tártaro de novilho, rabano picante, mostarda e cebola frita (17€).

Nos pratos principais, as opções de peixe, carne e arroz & pasta têm dois pratos cada — é o caso do robalo sauté, arroz malandrinho de sapateira, alface do mar e funcho (24€), bife de novilho à la creme, alho fermentado, batata doce e salsa (24,50€) ou o risotto de espargos verdes, rúcula, tomate seco e azeite de trufa (19€).

Para sobremesa, excluindo a seleção de fruta da época laminada (8€) e a seleção de queijos (10€), há bolo de chocolate húmido, morangos e gelado de café (7€), cheesecake de ananás dos Açores, gelado de chá verde e lima (7,50€) e Pastel de Nata… de Comer à Colher (8,50€).

Cheesecake de ananás dos Açores, gelado de chá verde e lima (7,50€)

Quando é que o roxo, o lilás e o vermelho combinam? No Canto Redondo

O restaurante Canto Redondo resulta da recuperação do antigo bar. Com um total de 32 lugares, o espaço tem poltronas elegantes, sofás corridos, amplos espelhos e pinturas clássicas. Tudo isto acompanhado por paredes de cor lilás.

O ambiente quer-se informal, mas na formalidade que obviamente caracteriza a Casa da Calçada — afinal, estamos num palácio do século XV transformado em hotel desde 2001.

O restaurante está aberto todos os dias aos almoços (12h30-15h30) e aos domingos e segundas-feiras aos jantares (19h30-22h30). A nova oferta de restauração pressupôs assim uma mudança no funcionamento do Largo do Paço, que passa a fechar ao jantar nesses dois dias da semana.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]