Como se já não fosse suficiente lidar com o ghosting, o haunting e o benching, chega agora o stashing, a nova prática de relacionamentos amorosos.

E o que é o stashing? Basicamente, está a ser alvo desta prática quando o seu parceiro não a apresenta à família e aos amigos — tão simples quanto isto.

Os encontros com amigos são evitados, os eventos familiares também, nas redes sociais não há sinal que essa pessoa tenha abandonado o mercado dos solteiros (não existindo qualquer fotografia ou comentário mais amoroso) e nem os elementos do círculo mais próximo sabem da existência de uma possível cara-metade. Se o seu “namorado” tem estes comportamentos, cuidado, pois é bem possível que tenha sido atingida pelo stashing.

Estar sempre a olhar para o telemóvel está a arruinar as suas relações

Em declarações ao New York Post, Julia Bekker, proprietária de uma empresa de relacionamentos amorosos em Nova Iorque (EUA), explicou que os “stashers” são, geralmente, pessoas com medo de compromissos e emocionalmente indisponíveis.

“Também podem estar ansiosos e inseguros em relação a essa nova ligação, o que faz com que hesitem mais em apresentar o novo companheiro ou companheira às pessoas mais próximas ou a colegas de trabalho com quem teem de lidar todos os dias”, explica Julia Bekker.

No entanto, há formas de ser proteger desta prática. Segundo a especialista em matchmaking, existem sinais de alerta para perceber facilmente se a pessoa com quem está é um “stasher”.

“Se está com alguém de forma exclusiva há já bastante tempo e descobre que a pessoa não a inclui em eventos importantes (sejam de trabalho ou familiares), nem a apresenta aos amigos mais próximos ou à família, chegou a altura de seguir em frente”, conta Bekker.