Às portas da aldeia de Muda, bem perto da Comporta, há um hotel que tem aparecido nas grandes publicações internacionais, da “Condé Nast” à “Architectural Digest”. Bem, na realidade não é bem um hotel — no Turismo de Portugal está registado como hotel-apartamento, eles intitulam-se como Country House Retreat, nós chamamos-lhe um local de sonho. Falamos do Sublime Comporta que, quatro anos depois da abertura, está carregadinho de novidades.

Em 2016, vieram as novas villas inspiradas nas típicas cabanas da Comporta, uma piscina para os miúdos e um clube infantil. Em janeiro deste ano, receberam um novo chef, Tiago Santos. Há ainda uma nova equipa de vinhos que propõe provas onde os vinhos portugueses são estrelas, e em breve um novo azeite e um novo vinho.

Mas são as novas villas que ganham um lugar de destaque agora na paisagem. Têm três, quatro e cinco quartos, umas já estão a funcionar, as restantes ficam operacionais até ao final de julho. Serão 22 no total: dez T2; quatro T3; cinco T4; e três T5. Por outras contas, há 67 quartos em villas que se juntam aos 14 quartos e suites.

O projeto arquitetónico ficou a cargo de José Alberto Charrua e de Miguel Câncio Martins. Mais uma vez, a inspiração são as cabanas típicas da Comporta. Com uma decoração charmosa mas despretensiosa, as villas com dois quartos são uma interpretação contemporânea das casas (ou “cabanas”) tradicionais da Comporta. Têm dois quartos com casa de banho privativa, uma grande área de estar com sala de jantar e cozinha equipa. Há ainda uma lareira interior/exterior, piscina privada e vários decks. 

As restantes villas têm lareiras suspensas, piscinas privadas e uma grande área exterior com decks também privativos. Há ainda uma ampla zona de estar com sala de jantar, cozinha equipada e casa de banho, terraço privativo e uma entrada separada em cada um dos quartos.

Consoante a época e a tipologia, os preços das villas variam entre 620€ e 2.160€ por noite.

14 fotos

Quando (conseguir) sair do quarto, é isto que há para descobrir

Gonçalo Pessoa era co-piloto, Patrícia assistente de bordo. Apaixonaram-se, casaram e tiveram dois filhos, subiram na carreira e decidiram comprar um terreno na Comporta que tanto adoravam para construir ali uma casa de férias. Na altura nem imaginavam que viriam um dia a receber hóspedes, mas foi exatamente isso que aconteceu. Porquê? Porque toda a gente queria ir dormir ao Oásis que Patrícia e Gonçalo estavam a criar tão perto da Comporta.

Em 2014, começaram com 14 quartos numa floresta de sobreiros e pinheiros, uma piscina exterior, um restaurante e um spa.

11 fotos

E eles ainda lá estão, agora bem acompanhados de todas as outras novidades. Além das villas o restaurante tem um novo chef, Tiago Santos, que passou pela Casa da Calçada, em Amarante; The Yeatman, Vila Nova de Gaia; ou a Casa de Chá da Boa Nova, Leça da Palmeira.

O restaurante também mudou de nome (o antigo Celeiro agora chama-se Sem Porta), ganhou um novo look e serve pratos típicos portugueses, com enfoque na região, nos produtos locais e na sazonalidade. Sempre com criatividade e um toque contemporâneo, claro.

4 fotos