Polémica. Novo jogo simula um tiroteio numa escola

Os jogadores podem escolher ser o atirador ou fazer parte da equipa de SWAT. Em breve vão poder também assumir o papel de um civil.

Os jogadores podem escolher ser o atirador ou fazer parte da equipa de SWAT

Uma escola, várias armas e controle do jogo na primeira pessoa. É assim no “Active Shooter”, um jogo que vai chegar ao Steam a 6 de junho e que já está a causar polémica. A razão é óbvia: numa altura em que ainda não chegámos a meio do ano e já houve 18 tiroteios em escolas norte-americanas, lançar um jogo onde os utilizadores podem simular um tiroteio numa escola não parece lá grande ideia.

Mas é exatamente esse o objetivo do jogo — pelo menos se optar pelo papel de atirador, uma vez que também pode pertencer à equipa SWAT e tentar impedir o ataque, ou ser um civil em modo sobrevivência. Quem escolher a primeira opção vai assistindo à contagem do número de civis e policias mortos, sendo que o objetivo é, claro, matar o maior número de pessoas possível.

Em comunicado, o criador do jogo, identificado no Steam com o nome de utilizador ACID, disse ter sido inundado “de acusações e críticas de pessoas de todo o mundo”. Garantindo que o jogo “não promove qualquer tipo de violência”, trata-se “essencialmente de um simulador.”

“Originalmente, quando o jogo começou a ser desenvolvido, planeei ter apenas os SWAT como base do jogo. Depois decidi aumentar a jogabilidade e juntar papéis adicionais: de atirador e de civil. Apesar de perceber a raiva das pessoas, e porque é que isto pode ser uma má ideia para o jogo, ainda sinto que o tópico deve ser deixado em paz.”

ACID argumenta que existem jogos “ainda piores em comparação a ‘Active Shooter'”, como por exemplo “Hatred”, “Postal” ou “Carmageddon”, que se “concentram literalmente em tiroteios em massa e assassinatos de pessoas”.

Para o lançamento do jogo só estará pronto o cenário da escola, mas a ideia é incluir outros — como postos de gasolina ou lojas. “No entanto, devo dizer que a maioria deles dependerá do jogo ativo da SWAT e não do próprio atirador. Mas vamos ver.”

Além do modo single player, “Active Shooter” vai ter multiplayer (duas equipas) e co-op (escolhe um dos lados e joga normalmente como o faria no single player). O modo de sobrevivência civil vai ser adicionado nas duas primeiras 72 horas após o lançamento.

A Valve, empresa detrás do Steam, pode optar por remover o jogo. Ainda assim, o criador de “Active Shooter” garante que já os contactou sobre essa matéria, mas ainda não obteve resposta. Se for obrigado a fazer alterações, ACID diz que prefere tirar simplesmente o modo atirador. Ou é mantido como está, ou então não vale a pena estar lá.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]