Desde a menina afegã de grandes olhos verdes que a National Geographic nos habituou a capas icónicas. A da próxima edição corre o risco de ser uma das mais impactantes, uma vez que, apesar de ainda não estar nas bancas, bastou que fosse partilhada nas redes sociais para ser um dos assuntos da semana.

Foi o editor de fotografia da revista o primeiro a publicar uma foto da capa que mostra um iceberg cuja base submersa é na verdade um saco de plástico. O título é “Planet or Plastic” (Planeta ou Plástico) e dá o mote para uma grande reportagem sobre o impacto negativo do plástico em todo o mundo.

A capa já foi partilhada por milhares de utilizadores nas redes sociais

Entretanto, foram chegando à internet mais fotos desta reportagem que pretende dar o alerta para o problema causado pelos oito mil milhões de toneladas de plástico que anualmente chegam aos oceanos.

O artigo começa por fazer referência a um vídeo — visto já por quase 25 milhões de pessoas — que mostra o momento em que uma bióloga tenta tirar, durante oito longos minutos, um cabo de ferro que estava enterrado no focinho de uma tartaruga. Referem ainda que já se tornou habitual que as equipas de resgate encontrem cenários devastadores onde estão pássaros com o estômago cheio de plástico ou com o bico preso numa anilha.

Um fotógrafo libertou esta cegonha num aterro em Espanha

“O mais triste é que os animais estão a comer plástico a pensar que é comida”, refere à revista Matthew Savoca, biólogo marinho da Administração Oceânica e Atmosférica norte-americana. Nas suas expedições já encontrou peixes que comem plástico por ter sabor de comida, uma vez que está coberto de algas. “Imagine o que é acabar de comer e sentir-se fraco e com a mesma fome que inicialmente. Isto seria muito confuso”. Mas é assim que muitas espécies sobrevivem.

Esta foto foi tirada numa praia de Okinawa, no Japão

A National Geogrpahic aproveitou o tema para anunciar um compromisso a longo prazo de promover campanhas educacionais e investigações sobre o tema e, internamente, cortar no uso de plástico. A iniciativa terá efeitos imediatos, com a notícia de que os assinantes da revista dos Estados Unidos, Reino Unido e Índia vão começar a receber a revista sem que ela venha no habitual invólucro de plástico. Até ao final de 2019 esta medida vai englobar a distribuição de revistas a nível mundial.