Arte nos lábios: Instagramer Vlada Haggerty explica como se faz

Com mais de 800 mil seguidores no Instagram, a maquilhadora passa horas a aplicar batom nos lábios para que saia uma obra de arte.

O pingo dourado é a sua grande imagem de marca, que conseguiu por mero acaso.

Pode não conhecer o nome mas, se gosta de maquilhagem, de certo já viu a icónica imagem dos lábios dourados que parecem pingar o batom. A criadora é Vlada Haggerty, maquilhadora profissional que se dedicou à arte nos lábios quando, ao mudar-se para Los Angeles, nos Estados Unidos da América (EUA), ficou sem emprego.

Desde lantejoulas, diamantes, padrões e até imitação de obras de arte, como a noite estrelada de Van Gogh e os relógios derretidos de Dali, a ucraniana, que vive na Califórnia desde 2013, já experimentou um pouco de tudo: todos os desenhos e efeitos são realizados por ela e nunca em computador.

As fotografias, que tira a si própria, já lhe valeram mais de 800 mil seguidores no Instagram e um grande reconhecimento no mundo da beleza. Vlada Haggerty foi convidada pela marca de maquilhagem Smashbox para ser editora-chefe do departamento de lábios e lançou a sua primeira coleção: Petal Metal Collection.

Numa entrevista ao The Coveteur, conta que a inspiração para a arte veio de uma maquilhadora britânica mas, a sua imagem de marca, surgiu ao acaso: “Há uma maquilhadora de Londres, Karla Powell, que é verdadeiramente a minha inspiração original para ver os lábios como um objeto de arte e, assim, comecei a experimentar as suas técnicas. Uma delas era aplicar tinta nos lábios, mas ela não pingava, parecia que corria mas dentro do lábio. E comecei a brincar com isso, estava a tentar atingir aquele resultado”.

Depois de algumas tentativas Vlada decidiu tirar fotografias, e foi aí que a magia aconteceu: “Eu estava só a tirar fotografias e houve uma pinga que ficou suspensa no ar, eu nem sequer estava a esforçar-me para aquilo acontecer, e pensei ‘Uau, isto é tão giro’, e continuei a tirar selfies. E depois percebi que as pessoas gostavam daquilo que eu tinha feito”. E a partir daí começou a trabalhar a técnica: “Eu acho que foram os pingos que me diferenciaram. São uma fração de segundo preciosa”.

Mas a grande pergunta é, afinal, como é que se consegue uns lábios que parecem arte? E Vlada Haggerty explicou: “Geralmente uso um lipgloss transparente com, ou um pigmento, ou outro batom ou outro lipgloss. O truque é experimentar muitas vezes para descobrir como é que funciona, especialmente com a temperatura. Como aqui em Los Angeles faz muito calor, tem de ficar um pouco mais grosso”.

O processo implica paciência e tempo: com os diamantes e as lantejoulas pode demorar entre uma hora a uma hora e meia. Se Vlada tiver de os desenhar o mais provável é que demore “três horas ou mais”.

No entanto, a preparação é um passo muito importante. Vlada desvenda que, se fizer alguma coisa com diamantes, lantejoulas ou glitter, que cubra a textura dos lábios, geralmente não faz nada porque “é melhor quando os lábios estão mais elásticos”. Mas, para fazer fotografias com batom puro, o proceso demora 24 horas. “Primeiro que tudo é preciso livrar-se dos pequenos pelos brancos que tem acima do lábio: depois disso fica impecável”. O segundo passo é hidratar muito bem: “Tenho duas máscaras de lábios noturnas que adoro, (o Laneige Lip Sleeping Mask e o Aritaum Ginger Sugar Overnight Lip Mask), aplico uma grande camada e vou dormir. É uma textura muita espessa que quase parece cera. De manhã, quando acordo, limpo e uso uma escova de dentes para esfregar muito suavemente com um pouco de água. E depois aplico um leve bálsamo labial”.

Vlada sente que, maior parte das pessoas, está à espera que crie a sua própria marca de maquilhagem mas, para já, não pensa no assunto: “Quantas mais marcas de maquilhagem podemos encaixar neste mercado? A menos que eu tenha algo inovador, não há razão para o fazer. Só para ter outra marca de batons prefiro esperar, não estou com pressa. Eu sinto que a paciência é muito importante”.

Para um futuro mais próximo, o seu sonho é criar um livro de mesa com todo o seu trabalho: “Eu não sei como é que a maioria dos meus seguidores vê as fotos mas, acho que 99% apenas olham para elas através do telemóvel, que é muito pequeno. Eu quero que as minhas fotografias sejam em alta qualidade e que o livro tenha, pelo menos, 150 páginas, talvez até 200. E quero ter, talvez, metade dos meus trabalhos que já estão na página do instagram e metade novo, nunca visto”.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. adriana.melo.claro@hotmail.com