7 mitos sobre a saúde feminina

Tomar a pílula sem interrupção não faz mal e pode lavar o cabelo todos os dias. A MAGG falou com médicos que desmontaram falsas verdades.

É mito que o chocolate causa acne

Brandi Redd / Unsplash

Quando o assunto é saúde feminina todas as mulheres têm uma coisa diferente a dizer: no grupo de amigas há, normalmente, mais do que um tema em que as opiniões divergem. A MAGG falou com duas médicas para desvendar oito dos mais controversos mitos que todas as mulheres já ouviram.

Tomar a pílula sem interrupção faz mal

Teresa Bombas, especialista em Ginecologia e Obstetrícia no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e Presidente da Sociedade Portuguesa da Contracepção explica que “não é prejudicial para a saúde tomar a pílula seguida, sem a semana de pausa.” Isto porque a semana de pausa da pílula serve, sobretudo, para demonstrar que a mulher não está grávida. “A pílula é um contracetivo muito eficaz mas essa eficácia é determinada pela toma correta. Se houver esquecimentos, se a mulher tomar algum tipo de medicação que influencie a eficácia ou tiver episódios de diarreia e vómitos, pode engravidar”, explica. Apenas as mulheres que têm comportamentos que tornam a pílula menos eficaz não devem fazer deste um método de contracepção contínuo, pois se engravidarem podem só aperceber-se mais tarde. Teresa deixa claro que, “todas as outras mulheres que queiram, podem fazer a pílula contínua sem problema”.

Tomar a pílula durante muito tempo pode provocar infertilidade ou fazer com que seja mais difícil engravidar

“A pilula é um contracetivo reversível. Logo que suspenso a mulher recupera a sua fertilidade”, esclarece Teresa Bombas. Explica também que o problema não é da pílula: “Não podemos esquecer que as mulheres e casais de hoje deixam a maternidade para idades mais avançadas e a fertilidade é muito dependente da idade (e não do intervalo de tempo de realização de contraceção, pilula ou outro método).”

A pílula engorda

“Os estudos científicos demonstraram que após o início da toma da pílula pode verificar-se um ligeiro aumento de peso mas, em geral, é transitório”, começa por explicar a ginecologista. Portanto, normalmente ao fim de um ano o peso da maioria das mulheres é igual ao peso inicial na introdução do contracetivo. “No entanto existe uma variação individual na resposta às hormonas e, se uma mulher verificar que está a aumentar de peso deve consultar o seu médico, e rever a escolha contracetiva”, acrescenta. Isto é válido para a pílula e para todos os outros métodos hormonais, “excepto a injecção trimestral que, de facto, pode condicionar o aumento de peso”.

Calças justas provocam corrimento vaginal

“Todas as mulheres têm algum corrimento vaginal. Isso é normal e não está dependente do tipo de vestuário”, diz Teresa Bombas. Muitas vezes o que acontece é que usar calças apertadas por muitas horas e dias seguidos pode favorecer o aumento da temperatura e humidade da região, o que pode acabar por causar corrimento, embora não seja um acontecimento comum.

Fazer a depilação íntima não é bom para a mulher

A ginecologista explica que, na maioria das mulheres ela não é prejudicial, no entanto, “não podemos esquecer que o pêlo é uma protecção natural à entrada de infecções. Mas numa mulher saudável a depilação não tem consequências”. A única atenção especial que deve ter é ao tipo de cremes depilatórios, ceras e outros produtos usados, por ser uma zona sensível.

Lavar o cabelo todos os dias faz mal

Mito. A dermatologista Joana Coelho afirma que “lavar o cabelo todos os dias não tem qualquer problema”. O único cuidado a ter é ao pentear: não pode puxar muito o folículo no couro cabeludo. “O cabelo deve ser lavado as vezes que forem necessárias para estar com um ar saudável: há pessoas que têm o cabelo mais oleoso e têm de o lavar mais frequentemente e há pessoas que têm o cabelo mais seco e podem lavá-lo duas ou três vezes por semana”. No entanto, alerta para um detalhe importante: “O cabelo deve ser seco com o secador, não muito quente, mas sempre seco para não se dormir com a raiz molhada.”

O chocolate causa acne

A dermatologista assegura que não há nenhum estudo que consiga provar que chocolate cause acne: “O que temos é várias pessoas que descrevem que, quando comem chocolates, ficam com borbulhas, mas não há nenhum estudo científico que diga que o chocolate aumenta o acne”. Embora não esteja provado, Joana dá sempre o conselho aos seus pacientes: “Se tiverem essa tendência, embora não esteja provado em termos científicos, devem evitar comer”.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]