Há 200 milhões de solteiros no Facebook e Mark Zuckerberg está a fazer tudo para ver este número baixar.

O fundador da rede social aproveitou o primeiro dia do F8 — evento anual da empresa para anunciar novidades e projetos — para anunciar que está para chegar uma nova ferramenta que permite conhecer pessoas novas e fomentar encontros online. Mas atenção, esta funcionalidade vai ser usada para “relações longas” e não para “encontros casuais”, esclareceu, numa tentativa de se afastar dos já atuais Tinder ou Ok Cupid, aplicações que também promovem encontros amorosos.

Apesar de ainda não haver uma data para o lançamento, Zuckerberg levantou o véu sobre alguns dos pormenores da ferramenta que vai por exemplo, ter especial atenção com a privacidade e a segurança. “Apesar de ser uma aplicação do Facebook, será totalmente opcional”, começa por esclarecer. Além disso, poderá usá-la sem que os seus amigos o saibam, até porque serão sugeridas pessoas que não fazem parte da sua lista de contactos. As conversas vão acontecer apenas entre os utilizadores que ativarem aquela função e serão sempre em mensagens privadas de texto.

Descarreguei todo o histórico do meu Facebook. E descobri que ele sabe mais de mim do que eu

Há mais novidades

Como nem só de relações amorosas vive o Facebook, Zuckerberg aproveitou a conferência para anunciar uma outra novidade. A rede social vai permitir que o utilizador apague o histórico de navegação da sua conta sempre que o desejar.

O CEO reconhece a recente “falha de confiança” com os utilizadores, que a partir do momento em que a rede social seja atualizada, vão saber quais são as empresas com acesso aos seus dados e vão poder também apagar informação e impedir que o Facebook a volte a adicionar ao perfil.

A empresa tenta reconquistar a confiança do público com esta funcionalidade que entra em vigor numa altura em que o Facebook está envolvido no escândalo em torno da divulgação de dados dos utilizadores à empresa britânica Cambridge Analytica, que recolheu informação pessoal de 87 milhões de utilizadores da rede.

O Facebook vai ter um novo botão de “não gosto”

Realidade virtual e tradução automática

O Facebook lançou o Oculus Go, óculos de realidade virtual que serão vendidos a 199 dólares (165 euros) em 23 países. A versão melhorada (64GB) custa 249 dólares (207 euros). Portugal ainda não faz parte desta lista, assim como também ainda não terá disponível uma das outras novidades anunciadas na conferência: a tradução automática do Messenger.

Caso o chat da rede social detete um idioma diferente do que está definido, será questionado ao utilizador se pretende que a mensagem seja traduzida. No imediato, esta função fica disponível apenas nos Estados Unidos e para conteúdos em inglês e espanhol.