É um dos destinos de férias mais populares da Europa, mas torna-se também na primeira cidade espanhola a proibir os proprietários privados de arrendarem os seus apartamentos a turistas. As multas podem chegar até aos 400 mil euros, e não há muito tempo para refletir sobre o assunto: as medidas entram em vigor em julho.

Numa altura em que o excesso de turistas são uma preocupação constante para os europeus — Barcelona decidiu limitar o número de camas disponíveis nos hotéis e apartamentos, Santorini impôs o máximo de oito mil visitantes de navios de cruzeiro por dia —, Palma decidiu ir mais longe.

8 apartamentos à venda por um milhão de euros em Lisboa (que não são dignos de um filme de Hollywood)

Até porque era urgente tomar medidas: um estudo sobre o arrendamento na cidade mostrou que a oferta de arrendamentos sem licença por temporada subiu 50% entre 2015 e 2017.

Neste momento são 20 mil espaços, sendo que desse total apenas 645 têm licenças apropriadas. Com esta nova medida, os proprietários ficam assim proibidos de arrendar as suas casas nas áreas históricas, obrigando os turistas a procurar opções fora do centro da cidade.