Já sabe que o Facebook guarda toda a sua informação desde o momento em que se regista na rede social. E não lhe escapa nada — desde os seus gostos, comentários, a fotografias e vídeos que julgava perdidos, a rede social guarda ainda os seus hábitos de navegação que depois são cedidos às marcas para mais e novos anúncios de publicidade. A MAGG também já lhe contou o quão difícil é sair do Facebook e o que significa uma vida sem um perfil criado na plataforma mais utilizada do mundo.

Depois da polémica, da indignação, e de muita contestação (chegou a haver casos de celebridades a apagar as suas contas da rede social), é hora de aceitar que não consegue viver sem o Facebook — a sua vida está toda lá, os seus contactos também, e talvez não faça sentido estar agora a remar contra a maré.

Isso não quer dizer que não possa aproveitar os mais recentes escândalos para mudar a forma como usa o Facebook e a quantidade de informação que partilha com serviços e aplicações externas à empresa de Mark Zuckerberg.

Estas são todas as definições da sua conta a que deve prestar especial atenção para uma navegaçao (mais) segura.

Controle o acesso a aplicações

Esta é a página mais importante de todas as definições presentes na rede social, já que apresenta uma lista de todas as aplicações que estão associadas à sua conta e que têm acesso à sua informação pessoal. É aqui que pode decidir deixar de partilhar os seus dados com vários serviços e jogos — sim, até o CandyCrush ou o FarmVille que instalou há anos e que nunca mais usou.

É importante que reveja esta lista regularmente já que foi através de uma simples aplicação — aparentemente inofensiva —, que os dados de milhares de utilizadores foram utilizados ilegalmente para influenciar a campanha política de Donald Trump em 2016.

Como aceder às definições de acesso às aplicações?

Na web. À direita do seu nome e dos botões de amizade e notificações, carregue na seta. Isto abrirá uma lista de opções, e deverá carregar em “Definições”. Depois é só carregar no separador “Apps e sites”.

Em Android e iOS. Clique nas três linhas horizontais e, de seguida, escolha o separador “Definições e privacidade”. Encontrará várias opções mas a que interessa é aquela que diz “Definições de conta” e “Apps”.

Desative por completo o acesso a aplicações

Se preferir não partilhar a sua conta com nenhuma aplicação, pode simplesmente impedir que o Facebook tente associá-la aos vários serviços disponíveis na plataforma. A empresa continuará a ter acesso à sua informação, mas não a partilhará com outras que usem os seus dados para “melhorar a experiência de navegação”.

Isto implica que ao desativar por completo o acesso deixa de poder usar o Facebook para fazer login noutras plataformas e jogos. Mas atenção, é que todas as apps que tenham sido usadas antes de fazer esta alteração poderão continuar a ter acesso à sua informação pessoal — e a única maneira de tentar reverter a situação é contactar os programadores de cada serviço.

Pode aceder a esta opção através de “Definições de conta” e “Apps”.

Reveja a informação que está a partilhar com o mundo

Se quer proteger a sua informação de olhares alheios, os botões “Amigos” e “Apenas Eu” serão aqueles que mais deve ter em conta. O propósito do Facebook é partilhar todo o tipo de conteúdo com os seus contactos, amigos e conhecidos. Mas isso não quer dizer que tenha de o fazer com todas as marcas que se aproveitam dos seus dados para lhe oferecer vários anúncios de publicidade — alguns deles intrusivos.

Aos 64 anos a minha mãe recebeu o seu primeiro smartphone. Saiba como vai esta relação

No momento de fazer uma nova publicação, escolha partilhá-la apenas com os seus contactos mas próximos. Isto aplica-se também a todo o tipo de conteúdo mais pessoal que possa estar a partilhar com terceiros, como número de telefone, email, a escola que frequentou em criança, o local onde trabalha e o sítio onde vive.

Limite o acesso a publicações antigas

Não há que ter medo de admitir que já todos fizemos publicações que, na altura, pareciam boa ideia e transmitiam a nossa forma de pensar e ver o mundo. Com o tempo mudam-se as mentalidades, e aquele conteúdo que antes achávamos interessante e irreverente tornou-se sensível ou embaraçoso. Problema? Provavelmente continua a estar disponível para toda a gente ver.

Mas há uma forma muito simples de limitar o acesso a esse tipo de publicações, e impedir que o seu novo chefe veja aquele álbum de fotografias onde aparecia totalmente alcoolizado numa despedida de solteiro.

Na seta ao lado do botão de notificações, carregue em “Definições” depois em “Privacidade”. De seguida basta que clique em “Limitar publicações antigas” para finalizar o processo.

Diga adeus aos amigos falsos

O Facebook permite ainda bloquear aqueles perfis falsos, geralmente robôs, que tentem estabelecer contacto consigo. Ao aceitar um pedido de amizade destes, deixa automaticamente de ter controlo sobre a informação que está no seu perfil.

Isto é válido para todo o tipo de contacto — desde aquele perfil aparentemente vazio, sem uma única foto de perfil e cuja conta foi criada há dez dias, até a um perfil aparentemente real mas sem amigos em comuns consigo.

Para ativar esta funcionalidade basta dirigir-se às definições da plataforma e, no separador “Privacidade”, seleccionar a opção “Quem me pode contactar?” e escolher consoante a necessidade.