Casos reais de quando comprar online corre mal

Receber um vestido que não tem nada a ver com o que encomendou, uma camisola de cor diferente ou ténis falsos são só alguns exemplos.

O número de online shoppers tem vindo a aumentar e as queixas também/Unsplash

Se é daquelas pessoas que adoram fazer compras online (como eu), de certeza que isto já lhe aconteceu pelo menos uma vez: abrir a encomenda e perceber que o que comprámos não é nem sequer parecido com a imagem original que vimos no site de onde fizemos a encomenda. Mais grave ainda: o que nos chegou não é sequer a mesma coisa que encomendámos. Também acontece. Em 2017, o número de pessoas que compraram roupa online aumentou, e a tendência está a crescer, por isso é expectável que as encomendas online continuem a subir nos próximos anos. Moda, tecnologia e beleza estão no top três dos produtos mais comprados. Embora os números sejam um pouco diferentes, se compararmos os dados da Deco e do Portal da Queixa concluímos o mesmo: as queixas sobre comércio online também aumentaram.

Confesso que gosto muito de encomendar roupa, e, como pode acontecer a qualquer um, já passei por duas situações de engano: não ser a cor que estava na fotografia e não ser o modelo que eu pensava. A primeira passou-se quando fiz uma encomenda na Shein: comprei uma camisola de gola alta vermelha e, pela fotografia, parecia comprida e do género da que eu queria. Afinal não: era curta e com os braços demasiado largos. Acabei por nunca a usar. A segunda foi há poucos dias: encomendei um body castanho claro, na Missgueided. Abri a encomenda e era cor-de-rosa, nada a ver com o que estava na fotografia.

Quis saber quem mais tinha tido experiências parecidas com a minha, e encontrei algumas: “Mandei vir um vestido, de uma página chamada Princeless que supostamente tem feedbacks excelentes, para uma festa, por 20,99€. Quando vi uma embalagem tão pequena, e leve, vi logo que algo não estava bem. E quando a abri senti-me roubada“, queixa-se Joana Almeida, 20 anos. O vestido não tinha qualquer semelhança com aquele que tinha sido encomendado. Quando tentou obter respostas disseram-lhe que a única coisa a fazer era devolver. Ainda acusou a loja de a enganar mas esta respondeu-lhe que “seguia toda a lei à risca” e não ia conseguir nada.

Com uma breve pesquisa no google pela loja Princeless, conseguimos perceber que o caso de Joana não foi o primeiro, e não será certamente o último. Se entrarmos no Portal da Queixa, a Princeless tem 415 reclamações, das quais 412 estão resolvidas, e por isso apresenta um índice de satisfação de 94,2% (este índice reflete apenas a preocupação que a empresa tem em resolver as situações de insatisfação). Com morada em Portugal, mas sem espaço físico, se quiser encomendar pelo facebook, como fez a Joana, já não vai conseguir. A loja tem agora um site mas ainda não está em funcionamento.

Na fotografia da esquerda o está o vestido que Joana encomendou. Na da direita, o que recebeu em casa.

Já Carolina Vergas, de 18 anos, mandou vir uns ténis de correr e recebeu umas chuteiras de futebol, enquanto Miguel Bento, 23 anos, acabou a lucrar com o engano. “Uma vez encomendei um gorro e chegou-me uma pulseira. Fui logo reclamar o dinheiro. No dia a seguir chegou o gorro. Acabei por ficar com o gorro, o dinheiro e a pulseira.”

Carolina Vergas encomendou uns ténis de correr, recebeu umas chuteiras de futebol

Para Joana Alves, com 21 anos, receber artigos diferentes daqueles que encomenda já não é uma surpresa. “Uma vez encomendei umas botas no site da Gamiss e foi a desilusão total: eu calço o 42 e as botas que vieram eram muito pequenas para mim. Dei-as à minha mãe que calça o 37, a ela ficaram-lhe bem. Numa outra vez tive um problema com o Aliexpress: encomendei umas calças que, em termos de tamanho, estavam muito boas. O problema é que se enganaram na cor: eu tinha pedido azul marinho e vieram num amarelo horrível. Fiz queixa ao vendedor que pediu imensas desculpas e me devolveu o dinheiro.” Com Marta Vidigal o caso foi parecido, esteve um mês à espera que a encomenda chegasse para, no fim, ter uma desilusão: “Encomendei uma blusa de inverno pela Shein. Na fotografia era mesmo aquilo que eu queria mas quando a recebi em casa, era tudo mentira: tanto o corte como a cor eram diferentes.” Ricardo Lopes fez tudo para ter a certeza de que o que estava a comprar era real e, mesmo assim, acabou por não receber o que estava à espera: “Comprei uns ténis, pedi informações para saber se eram mesmo iguais aos da foto e garantiram-me que sim, por isso confiei. Quando chegaram eram totalmente o contrário daquilo que comprei, e falsos. Não tinham nada a ver com o modelo que mandei vir.”

Mesmo para quem está habituado a fazer compras online e tem todos os cuidados possíveis, isto pode acontecer. O ideal é ter em mente que estamos a comprar artigos que vemos em fotografias e no corpo de modelos que, normalmente, nada têm a ver com o nosso. Por isso, se a encomenda chegar a casa e não for aquilo que está à espera, seja na cor, no formato ou no tecido, lembre-se que há uma solução mágica: a devolução.

No entanto, há um monte de outras questões importantes que não pode esquecer quando está a encomendar pela internet. Pela vasta experiência que tenho neste tipo de compras, sinto que posso dar alguns conselhos que sejam úteis a qualquer pessoa que se decida aventurar no online shopping:

1º Atenção às trocas: Normalmente em sites como o ebay ou aliexpress, em que há muitos vendedores, é possível pedir o reembolso do dinheiro, mesmo sem mandar o artigo de volta. Já noutras lojas, como é o caso da Shein e da Missguided, o dinheiro apenas é devolvido quando a encomenda chega ao destino e entra de volta no sistema (normalmente devolvem o dinheiro na mesma forma em que fez o pagamento ou, muitas vezes, apenas fica disponível como saldo na loja).

2º Cuidado com as taxas alfandegárias: Por lei, uma compra feita fora do Espaço Económico Europeu e acima dos valores estipulados (22 euros) está sujeita a taxas alfandegárias, e não há nada que se possa fazer em relação a isto. Portanto, tente não ultrapassar os valores estipulados se comprar fora do EEE (a não ser que esteja disposto a pagar esses custos adicionais);

3º Tenha atenção ao feedback: nas primeiras encomendas, o melhor é pedir o envio do produto à cobrança. Se essa não for uma forma de pagamento possível, há que ter em atenção o feedback dos seus consumidores. Além disso eles também podem informar se, na realidade, o artigo é como está na fotografia. Quantos mais reviews positivas tiver a página ou o vendedor, mais probabilidades tem de a encomenda ser bem-sucedida.

4º  Problemas com a transportadora: a Deco Proteste alerta aos consumidores para que apresentem sempre reclamação à loja onde o produto foi comprado, pois a responsabilidade da entrega do produto é sempre desta e nunca da transportadora.

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]