Ricardo Andrez fez uma crítica à sociedade contemporânea e a MAGG à sua coleção

Um desfile de notas de dólar, cães vestidos com padrões de marcas de luxo, e modelos tipo Barbie.

Proposta com inspiração na Barbie / ModaLisboa

“Life in plastic it’s fantastic”. De repente, lembrámo-nos da música “Barbie Girl”, dos Aqua, que podia perfeitamente ter sido a banda sonora para o desfile de Ricardo Andrez.

Consumismo é a palavra-chave desta coleção com o nome “The TFK’S (TrustFundKids). A evolução do streetwear desde os anos 80 e 90 até hoje, e a forma como os millennials a veem foram as inspirações do estilista portuense para a criação desta coleção.

“Esta apresentação foi claramente uma crítica social. À apropriação das grandes marcas e ao público que as consome. Público esse que não quer saber das marcas mais pequenas, nem do seu conceito histórico”, explicou Ricardo Andrez à MAGG.

As propostas do estilista usam padrões universais de grandes marcas, como a Burberry. A presença de notas de dólar nos sapatos, e em algumas peças de roupa, transporta-nos até à América do Norte, rainha do consumismo.

O rosa Barbie foi a cor mais forte desta coleção, tanto nas roupas de mulher, como de homem. Os acolchoados foram outro elemento-chave desta coleção, principalmente em cachecóis.

A viagem à história do streetwear, e todo o conceito que levou à criação desta coleção, foram as partes mais interessantes deste desfile. As propostas apresentadas pareceram-nos um pouco confusas e grande parte das peças dificilmente usáveis, principalmente as de Homem.

Mas fará sentido criticar uma sociedade que consome marcas de luxo, quando se vende roupa considerada de luxo?

Partilhe
Fale connosco
Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado. [email protected]